Entenda porque a arbitragem não deu wazari para Maria Portela

·2 minuto de leitura
A brasileira Maria Portela (de quimono branca) e a russa Madina Taimazova competem na rodada de eliminação de -70kg feminino do judô durante os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 no Nippon Budokan em Tóquio em 28 de julho de 2021.
A brasileira Maria Portela (de quimono branca) e a russa Madina Taimazova competem na rodada de eliminação de -70kg feminino do judô durante os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 no Nippon Budokan em Tóquio em 28 de julho de 2021. (Foto de JACK GUEZ / AFP via Getty Images)

O motivo da arbitragem não dar o wazari para Maria Portela na luta contra a russa Madina Taimazova, nas oitavas de final da categoria até 70kg no judô, foi revelado. 

Leandro Guilheiro, medalhista olímpico e comentarista do Grupo Globo nos Jogos Olímpicos de Tóquio, contou que conversou com André Mariano, representante brasileiro da arbitragem do judô na competição, e descobriu o detalhe para a não pontuação.

Leia também:

"Conversei com o sensei André Mariano, que é o representante brasileiro nos Jogos Olímpicos. Qual foi o problema para não dar a pontuação? Ela bate com o ombro direito, sai do solo e depois bate com o ombro esquerdo", explica Guilheiro, no programa "Ohayo Tóquio".

O comentarista explicou ainda que há um consenso entre os árbitros de que não caracteriza um wazari quando o contato é sutil. 

Maria Portela protesta após aplicar o golpe em que avaliou ter dado um wazari na adversária russa.
Maria Portela protesta após aplicar o golpe em que avaliou ter dado um wazari na adversária russa. (Foto: Stanislav Krasilnikov\TASS via Getty Images)

"É uma imagem sutil. Tem um momento que perde o contato, muito sutil. Segundo o sensei André Mariano, entre os árbitros isso tem base na regra, aplicando a regra, existem ações comprobatórias que isso não é um wazari", disse.

"Visualmente para mim foi wazari", completou reiterando.

A não validação do golpe de Maria Portela gerou revolta nas redes sociais e a discordância de especialistas

A judoca, por sua vez, tirou a responsabilidade da arbitragem na perda de sua luta, afirmando que deveria ter sido mais agressiva.

do Lance!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos