Entenda por que o Vasco de Vanderlei Luxemburgo pode potencializar o futebol de Benítez

Felippe Rocha
·1 minuto de leitura


O retorno de Martin Benítez ao Vasco é iminente. Com o negócio encaminhado e somente questões burocráticas pendentes, já é possível projetar a presença do meia argentino no novo time do Cruz-Maltino, com modificações vistas já no primeiro jogo, diante do Atlético-GO.

Ano passado, quando o argentino estava sendo contratado, a expectativa era de que ele fosse o articulador principal da equipe. Ele até vestiu a camisa 10, tradicional para os meias, e atuou nesta função. Mas já se sabia que não era onde ele melhor atuou na carreira.

Embora versátil, foi pela direita do ataque que ele teve período de destaque. Formava trinca ofensiva com Meza (centralizado) e Barco (na esquerda), atrás do centroavante Gigliotti no título da Copa Sul-Americana de 2017. E pela direita do ataque vascaíno, agora, está Yago Pikachu.

-> Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

Vanderlei Luxemburgo utilizou o lateral/ponta na função - e poderá recuá-lo neste domingo, contra o Botafogo, vista a suspensão de Léo Matos. No setor central, a aposta inicial neste 2021 foi repetir a marcação mais forte, assim como na passagem de 2019.

Naquele ano, com Luxa, o Vasco tinha velocistas para as pontas, improvisava no comando de ataque e praticamente não tinha meias. Guarín foi quem mais se aproximou, mas não se consolidou. O retorno de Benítez, neste momento, pode dar a ele a chance de atuar como nos melhores tempos no Independiente (ARG).