Entenda o declínio da carreira de Cristiano Ronaldo após saída do Real Madrid


Cristiano Ronaldo chegou aos 37 anos de idade em um momento que poucos imaginariam. Considerado o maior jogador da história de seu país, CR7 foi o reserva de Gonçalo Ramos na vitória de Portugal sobre a Suíça por 6 a 1 nas oitavas de final da Copa do Mundo do Qatar, e entrou somente aos 29 minutos do segundo tempo.

E quando o assunto é clube, a situação piora. Em novembro, o Manchester United rescindiu o contrato do astro após entrevista polêmica concedida ao jornalista Piers Morgan, onde CR7 "soltou o verbo" contra o técnico Erik ten Hag e dirigentes dos Diabos Vermelhos. Sem clube, Cristiano vê seu futuro indefinido e chegou a ser ligado a uma possível transferência para o Al-Nassr, da Arábia Saudita, que foi negada pelo próprio jogador.

Mas quando começou o declínio? Quando que um dos maiores jogadores da história do futebol, com incontáveis títulos, gols marcados e recordes quebrados se tornou rejeitado por diversos clubes da Europa, chegando a ser reserva em sua seleção? O LANCE! relembra a linha do tempo da carreira de Cristiano Ronaldo.

2018: SAÍDA CONTURBADA DO REAL MADRID
Para muitos, a última grande temporada de Cristiano Ronaldo (em termos físicos e técnicos) foi em 2017/18, quando ainda defendia o Real Madrid. No caminho até a decisão da Uefa Champions League em Kiev, o português anotou seis gols no mata-mata, incluindo uma bicicleta histórica contra a Juventus em Turim, quando saiu aplaudido pela torcida italiana.

Cristiano Ronaldo e Zidane - Real Madrid x Liverpool
Cristiano Ronaldo e Zidane - Real Madrid x Liverpool

Cristiano Ronaldo em seu último jogo pelo Real Madrid (Foto: Franck Fife / AFP)

Apesar de apagado na final contra o Liverpool, CR7 saiu vitorioso na Champions League mais uma vez, a quinta (e última) de sua carreira. Este foi seu último ato pelo Real Madrid e, após a Copa do Mundo da Rússia, foi anunciado pela Juventus. Cristiano defendeu o clube espanhol por nove anos, entre 2009 e 2018.

INÍCIO DO FIM?
Acostumado a decidir jogos de Liga dos Campeões, Cristiano topou o desafio de se juntar à um dos gigantes da Itália, que vive um longo jejum de títulos internacionais. Apesar do sucesso doméstico (conquistou dois títulos do Calcio) e um 101 gols marcados pela Juve, faltou a conquista europeia, marca registrada da carreira do astro.

Juventus x Lazio - Cristiano Ronaldo
Juventus x Lazio - Cristiano Ronaldo

CR7 na Juventus (Foto: ISABELLA BONOTTO / AFP)

Em sua primeira Champions pela Velha Senhora, um lapso de um "velho" Cristiano Ronaldo: hat-trick decisivo contra o Atlético de Madrid, sua vítima preferida e vitória por 3 a 0 nas oitavas de final, após derrota por 2 a 0 no jogo de ida. Mas a eliminação veio na fase seguinte; nas quartas, queda para o Ajax.

Nas temporadas seguintes, novas quedas com CR7 apagado. Em 2019/20, a Juventus foi eliminada pelo Lyon e em 2020/21, é superada pelo Porto. Ambas as derrotas foram nas oitavas de final da Champions League.

2021: MANCHESTER UNITED - RECOMEÇO?
Após três temporadas na Juventus, Cristiano Ronaldo aceitou o convite do Manchester United em 2021 para reeditar uma parceria que deu certo na década de 2000. Foi no gigante da Inglaterra que o português pavimentou seu caminho para se tornar um dos maiores da história. No Old Trafford, entre 2003 e 2009, conquistou a Premier League em três oportunidades, uma Champions e sua primeira Bola de Ouro.

Seu retorno à Manchester foi dos mais festejados. Ao som de "Viva Ronaldo" nas arquibancadas do Old Trafford, Cristiano somou ótimos números em sua primeira temporada de retorno no United: 24 gols em 39 partidas na temporada 2021/22, mesmo com um time que oscilou sob o comando de dois treinadores: Ole Gunnar Solskjaer e Ralf Rangnick.

Manchester United x Newcastle - Cristiano Ronaldo
Manchester United x Newcastle - Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo marcou dois gols na estreia contra o Newcastle (Foto: OLI SCARFF / AFP)


2022: QUANDO TUDO DESABOU

​O início da temporada 2022/23 foi marcado pelo desejo de Cristiano Ronaldo em deixar, novamente, o Manchester United, muito por conta da ausência da equipe na Champions League. Após tentativas frustradas, o português permaneceu e mal jogou sob o comando do então novo técnico dos Diabos Vermelhos, Erik ten Hag. Por se ausentar da pré-temporada, CR7 se tornou reserva.

A polêmica entrevista ao jornalista Piers Morgan colocou tudo abaixo. Cristiano detonou Ten Hag e a estrutura do Manchester United, e não pegou leve nas críticas. O clube, então, rescindiu seu contrato durante a Copa do Mundo do Qatar.

RESERVA NA SELEÇÃO: ÚLTIMO ATO?
​O Mundial de 2022 era (e talvez ainda seja) a grande chance de redenção técnica de Cristiano Ronaldo. Maior jogador da história de Portugal, CR7 se viu na mesma condição de reserva que estava no United, o que voltou a levantar questionamentos sobre o estágio que sua carreira atingiu.

Uma das maiores referências físicas do esporte, Cristiano se vê em um melancólico declínio, longe de seu auge. Aos 37 anos, uma queda técnica é natural e esperado, acontece com todos os atletas. Mas um ídolo com este tamanho chegar próximo do fim de sua trajetória como jogador sendo alvo de críticas e polêmicas, não é o ideal. Muito longe disso. Ainda mais para Cristiano Ronaldo.