Entenda como Bandeira de Mello pode ser expulso do Flamengo

Goal.com

Nesta segunda-feira (27) um grupo político do Flamengo, intitulado “Vanguarda Rubro-Negra”, enviou um pedido formal ao presidente do Conselho de Administração, Bernardo Amaral, para a abertura de um inquérito que pede a punição do ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello – segundo informações do UOL. O trâmite pode resultar até mesmo na expulsão do ex-mandatário flamenguista dos registros no quadro social.

Tal movimento surgiu como uma resposta às declarações recentes de Bandeira, dizendo que se ainda fosse presidente do Flamengo a tragédia no CT Ninho do Urubu – que resultou na morte de 10 crianças, além de outros feridos em 2019 – não teria acontecido.

“Se eu ainda fosse presidente, tenho quase certeza que não teria acontecido o incêndio. Fiquei lá seis anos e não aconteceu nada. O que aconteceu ali, eu já não estava mais lá, e sinceramente não sei qual foi a causa. Mas espero que o MP chegue à verdade. Porque é muito desagradável se ter inocentes sendo acusados de maneira totalmente injusta. Um deles sou eu”, disse Bandeira de Mello em entrevista para o jornalista Jorge Nicola, da ESPN Brasil.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Dois meses separam fim de mandato da tragédia

Tragédia Ninho do Urubu
Tragédia Ninho do Urubu
(Foto: Getty Images)

Eduardo Bandeira de Mello foi presidente do Flamengo por dois mandatos: esteve na cadeira principal do clube entre 2013 e 2018. Deixou o cargo em dezembro de 2018, cerca de dois meses antes da tragédia ocorrida em fevereiro de 2019 – quando Rodolfo Landim já havia sido empossado como presidente.

Respostas da direção atual

Durante live transmitida pela FlaTV, canal oficial do clube no YouTube, o vice de futebol Marcos Braz não poupou críticas às palavras de Bandeira de Mello.

“Foi muito infeliz nas declarações de semana passada, esse infeliz está barato para ele. Foi uma maneira covarde ou de mau caráter, não conheço ele. Não sei se foi de mau caráter ou oportunista. A galera que conhece ele e trabalhou, acha que foi de mau caráter, eu fico com oportunismo”, afirmou.

“Ele não poderia dar essa declaração, ele nunca poderia. Se fosse ele não teria. Porque foi na gestão dele que contratou aquilo, que as crianças estavam lá, que chegaram todas as notificações da prefeitura. E o Landim com 30 dias de gestão, é brincadeira. Vamos supor que fosse no final desse ano ou ano que vem, aí ele poderia falar. A gente tinha 30 dias de gestão, não foi legal”, completou Braz.

Por que Bandeira pode ser expulso do Flamengo

Eduardo Bandeira de Mello presidente Flamengo 08 12 15
Eduardo Bandeira de Mello presidente Flamengo 08 12 15
(Foto: Gilvan de Souza / CR Flamengo / Divulgação)

O pedido do grupo “Vanguarda Rubro-Negra”, se baseia em dois artigos do estatuto do clube.

24, parágrafo XI: "Abster-se de usar qualquer meio de comunicação para veicular expressões desonrosas contra o FLAMENGO, ou os membros de seus Poderes, em campanha eleitoral, ou em razão de suas funções.

49: "Veicular expressões desonrosas, por qualquer meio de comunicação, contra o FLAMENGO, ou os membros de seus Poderes, em campanha eleitoral, ou em razão de suas funções.

Segundo publicado pelo Globoesporte.com, o artigo 49 prevê duas punições: suspensão por até 360 dias ou a eliminação do quadro social.

O Conselho de Administração do Flamengo irá analisar o pedido para saber se cabe, ou não, a instauração de uma comissão de inquérito – decisão que pode sair ainda nesta semana.

Leia também