Entenda a polêmica que quase deixou o Equador fora da Copa

Byron Castillo durante amistoso do Equador (Foto: James Williamson - AMA/Getty Images)
Byron Castillo durante amistoso do Equador (Foto: James Williamson - AMA/Getty Images)

O Equador correu risco de não disputar esta edição da Copa do Mundo. Por conta de toda uma polêmica envolvendo o lateral-direito Byron Castillo, a seleção optou por não convocá-lo e inclusive justificou a decisão como um receio de "novas injustas punições", como diz a nota.

O problema envolvendo o jogador está sob o cuidado judicial do Tribunal Arbitral Esportivo, após uma denúncia feita pelo Chile em relação às Eliminatórias Sul-Americanas. Castillo não sofreu sanção alguma, mas o Equador já teve três pontos retirados para as Eliminatórias de 2026.

Leia também:

"Diante de uma decisão arbitrária do CAS, que ignora os princípios jurídicos mais elementares universalmente aceitos, e diante do risco de sofrer novamente injustas punições, a Federação Equatoriana de Futebol se vê na obrigação de não incluir o jogador Byron Castillo Segura na lista final que foi apresentada a Fifa", explicou a entidade.

O grande problema é que o Chile acusa o Equador de ter utilizado Castillo de forma irregular em oito partidas. O país alega que o jogador nasceu na Colômbia em 1995 e não no Equador em 1998, como ele declara.

Às vésperas da Copa, o Tribunal Arbitral Esportivo considerou que a Federação Equatoriana inscreveu Castillo sob documentos falsos e aplicou a punição de 100 mil francos suíços, além da perda de pontos no próximo ciclo de Eliminatórias.

"Incompreensivelmente, a mesma decisão do CAS - que reconhece a elegibilidade do jogador - semeia, de forma ilegítima, dúvidas sobre o conteúdo de seu passaporte que podem colocar em risco, não só o avanço da seleção nesta Copa do Mundo, como até mesmo comprometer sua participação na próxima edição, sob a sanções que, sem fundamento jurídico algum, foram impostas a Federação Equatoriana de Futebol", lamentou a federação.