Engenheiro admite que aeroscreen vai alterar acerto e peso dos novos carros da Indy

Redação GP
Grande Prêmio

A entrada do aeroscreen nos carros da Indy em 2020 promete trazer algumas preocupações para os times. Will Anderson, engenheiro da Schmidt Peterson, crê que as equipes precisarão implantar mudanças nos acertos dos carros na próxima temporada.

Em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’, Anderson revelou que os pneus vão ser impactados com a introdução do aeroscreen, e que as mudanças aerodinâmicas serão mais notadas nos ovais.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"O aeroscreen vai mudar as configurações, particularmente nos ovais. A Indy está trabalhando com a Firestone, e tenho certeza que vão fazer um excelente trabalho como sempre, preparando os pneus para esta mudança. Tenho certeza que eles já pensaram sobre", disse.

James Hinchcliffe (Foto: Indycar)


"Terá uma grande mudança no centro de gravidade que irá alterar as configurações no geral, mas eu acho que será mais notável nos ovais, porque os pneus dianteiros direitos serão muito mais desgastados. Não sei os avanços, mas entendo que teremos pneus novos para ajudar nisso. Mesmo se os espelhos e as asas forem mantidos no mesmo ângulo desse ano, acho que temos muito para nos ocupar, assim que tivermos o peso e o mapa aerodinâmico", seguiu.

O aeroscreen foi desenvolvido para reduzir o risco de lesões causadas por peças de carro e outros objetos que podem atingir o cockpit, como no caso de Justin Wilson, piloto que morreu na etapa de Pocono, em 2015, ao ser atingido por parte da asa dianteira de Sage Karam, que colidiu contra o muro momentos antes.

Anderson garantiu que os pilotos vão notar a diferença em relação ao vento, mas que os engenheiros pouco podem fazer para mudar a situação.

James Hinchcliffe é um dos pilotos da Schmidt Peterson (Foto: Indycar)



"Acho que o piloto vai perceber que o vento se desloca mais com o aeroscreen, mesmo com a cabeça dela protegida do vento, por conta da área mais protegida. Mas sinceramente, não tem muito o que podemos mudar. Vai ser difícil de consertar. Vai ser mais parecido com o aerokit de 2014, porque o que utilizamos da Honda tinha um estilo Fórmula 1 no motor, e tenho certeza que os pilotos perceberam isso com os ventos cruzados se movendo", completou.

A Indy retorna no próximo fim de semana com o GP de Portland. Josef Newgarden lidera a temporada, com 38 pontos de vantagem para o vice-líder Simon Pagenaud.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.







Leia também