Energia no Amapá começa a voltar após cinco dias de apagão

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
Macapá em total escuridão durante a madrugada. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Macapá em total escuridão durante a madrugada. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)

O fornecimento de energia foi retomado no Amapá, que chegou ao quinto dia de apagão neste sábado (7). O Ministério de Minas e Energia informou que conseguiu conectar ao Sistema Interligado Nacional (SIN) a maior parte dos bairros da capital e em algumas áreas de Santana, na região metropolitana de Macapá.

O ministério afirmou ter concluído os reparos em um dos transformadores da Subestação Macapá, o que permitiu o início gradativo do atendimento aos consumidores amapaenses. De acordo com a pasta, até 9h30, 33% da carga típica para o horário estava sendo atendida.

Leia também

Quase 90% da população do Amapá – cerca de 765 mil pessoas – ficou sem energia elétrica na terça-feira. Um incêndio atingiu a principal subestação do estado, que alimenta 13 das 16 cidades do estado. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que a principal suspeita é de que o incêndio tenha sido causado por um raio.

Segundo ele, em paralelo às ações para restabelecimento do transformador, geradores serão transportados de Manaus (AM) para Macapá para suprir a necessidade do estado durante a recuperação do sistema.

“Isso vai assegurar o restabelecimento gradual da carga total de Macapá nos próximos dias”,

Além disso, um transformador disponível em Laranjal do Jari, no sul do Amapá, será deslocado para Macapá nos próximos dias para substituir o transformador danificado da subestação.

“A instalação deverá ser concluída em 15 dias e isso proporcionará 100% da carga do estado atendida”, disse Albuquerque.

O ministro ressaltou também que outro transformador, que será transportado de Boa Vista (RR), em até 30 dias, dará uma “reserva” ao sistema de energia elétrica do estado.

Inicialmente, o ministério informou que a energia seria restaurada ontem, mas Bento Albuquerque explicou que não deu certo, porque se trata de uma operação “complexa”.

Ele destacou ainda que o governo federal criou um gabinete de gestão de crise, com a participação do Ministério de Minas e Energia, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Operador Nacional do Sistema (ONS), além de representantes de outros ministérios.

O governo do estado do Amapá decreto estado de calamidade por 30 dias.

A falta de energia elétrica afetou também o abastecimento de água. Gêneros de primeira necessidade começam a faltar, como água e combustível. Donos de estabelecimentos comerciais relatam prejuízos, principalmente pela dificuldade para acondicionar alimentos perecíveis.

Senador pelo Amapá, o senador Randolfe Rodrigues (Rede) está em Macapá e relatou que a situação na capital é de caos e o cenário similar ao de uma guerra. Há três dias o estado está sem energia elétrica, após uma grande tempestade. Ele acredita que, sem o reestabelecimento de energia ainda nesta sexta-feira, 6, poderá haver uma crise alimentar no estado.