Enem: Inep diz que é "imaturidade" mulher negra não querer alisar o cabelo, segundo o gabarito

João Conrado Kneipp
·3 minuto de leitura
Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM - Brazilian National High School Exam.
Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM - Brazilian National High School Exam.

A divulgação do gabarito do Enem 2020 (Exame Nacional do Ensino Médio) pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), na quarta-feira (27), abriu uma polêmica em torno da resposta de uma das questões na Prova de Linguagens. Em nota, o Inep informou que houve um erro e que o novo gabarito alterado foi divulgado nesta quinta (28).

Uma das perguntas trazia uma passagem em inglês do romance "Americanah", da escritora e pensadora feminista negra Chimamanda Ngozi Adichie. O enunciado apresentava o diálogo de uma cabeleireira com uma das personagens sobre a possibilidade dela alisar o cabelo.

A personagem, negra, respondeu: “Eu gosto do meu cabelo do jeito que Deus fez”.

Leia também

O gabarito divulgado inicialmente indicava que a atitude da personagem era fruto de uma 'postura de imaturidade', de acordo com a letra 'D'. Nesta quinta, após correção, Inep alterou para 'C - atitude de resistência'. (Foto: Reprodução/Inep)
O gabarito divulgado inicialmente indicava que a atitude da personagem era fruto de uma 'postura de imaturidade', de acordo com a letra 'D'. Nesta quinta, após correção, Inep alterou para 'C - atitude de resistência'. (Foto: Reprodução/Inep)

O Inep questionou quais eram as bases argumentativas da personagem que sustentavam sua resposta de não querer alisar o cabelo. O gabarito oficial apontou que a alternativa correta era a letra D: os argumentos "demonstram uma postura de imaturidade”.

Os gabaritos extraoficiais indicavam como certa a letra C: “revelam uma atitude de resistência”.

OUTRA QUESTÃO SOBRE PRECONCEITO

Uma segunda pergunta que envolvia a temática do racismo e preconceito também foi alvo de questionamentos após a divulgação do gabarito oficial da Prova de Linguagens.

A pergunta relatava o uso de um software por uma universidade que filtrava possíveis candidatos utilizando critérios como sexo ou origem racial, de acordo com o sobrenome ou local de nascimento.

Ao questionar em quais reflexos da sociedade o mecanismo utilizava os critérios, o gabarito oficial divulgado indicava como correta a alternativa “C - linguagem”, e não a “D - preconceito".

Para esta questão, o gabarito inicialmente apontava como resposta certa a letra 'C - linguagem', sendo alterada depois para 'D - preconceito'. (Foto: Reprodução/Inep)
Para esta questão, o gabarito inicialmente apontava como resposta certa a letra 'C - linguagem', sendo alterada depois para 'D - preconceito'. (Foto: Reprodução/Inep)

INEP FALA EM ERRO E DIVULGA NOVO GABARITO

Em resposta ao Yahoo Notícias, o Inep informou que “foi identificada uma inconsistência” no gabarito. A alegação do órgão é que uma modificação feita no gabarito após o restor das provas ao Inep não teria sido salva no banco de dados.

“Em função disso, a área técnica providenciou uma revisão no material e o instituto já disponibilizou as versões corrigidas no seu portal”, completa o instituto.

No fim da manhã de quinta, o Inep divulgou um novo informativo com as respostas alteradas, inclusive as envolvendo as duas perguntas que motivaram os questionamentos nas redes sociais.

Confira a nota na íntegra:

“O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) esclarece que, após a publicação dos gabaritos oficiais da versão impressa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, foi identificada uma inconsistência no material. A autarquia verificou que uma modificação feita no gabarito após o retorno das provas para o Inep não foi salva no banco de dados. Em função disso, a área técnica providenciou uma revisão no material e o instituto já disponibilizou as versões corrigidas no seu portal.”