Endometriose: saiba o que é e as consequências dessa doença

Yahoo Vida e Estilo
A endometriose atinge mais de 7 milhões de mulheres só no Brasil (Getty Images)
A endometriose atinge mais de 7 milhões de mulheres só no Brasil (Getty Images)

A endometriose recebe esse nome porque ela atinge o endométrio, que é a camada de tecido que reveste o interior do útero. Quando o endométrio surge fora do útero, onde ele deveria ficar, é quando se dá a endometriose.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

De acordo com a SBE (Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva), a doença atinge amplamente órgãos do sistema reprodutor feminino, como ovários, trompas e útero. Mas há casos de formação de células com características do endométrio em outras áreas do corpo, em órgãos próximos como bexiga, bem como locais mais raros como intestino, diafragma, e até mesmo pulmão.

Leia também:

“menstruação retrógrada”

Apesar de ainda não se ter um consenso sobre o porquê do desenvolvimento dessa doença, há estudos que apontam como causa a falha no sistema imunológico, mas a tese mais reconhecida é a da chamada “menstruação retrógrada”: quando o endométrio se desprende das paredes uterinas, sendo não liberado por completo durante a menstruação, e sobe pelas trompas. Dessa forma, as células do endométrio de alojam em outras cavidades do organismo e acabam se reproduzindo, causando a endometriose.

Há também levantamentos que mostram a influência genética no desenvolvimento dessa condição de saúde, por isso é frequentemente considerado um fator de risco na avaliação médica para o diagnóstico.

Mais de 7 milhões de mulheres sofrem com a endometriose

Estima-se que mais de 170 milhões de mulheres no mundo sofrem com doença. No Brasil, esse número chega a 7 milhões, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). Celebridades como Tatá Werneck, Wanessa Camargo e Giovanna Ewbank já declararam ter sofrido com a enfermidade. A endometriose atinge mulheres durante o período reprodutivo, podendo ser desenvolvida em qualquer momento entre a primeira menstruação e a menopausa.

A endometriose atinge mulheres no período fértil (Getty Images)
A endometriose atinge mulheres no período fértil (Getty Images)

Dor profunda na vagina ou na pelve durante relação sexual

Ainda de acordo com a SBE, a endometriose tem como principais sintomas: cólica menstrual intensa, que está presente em 90-95% dos casos; dor profunda na vagina ou na pelve durante relação sexual; dor pélvica contínua não relacionada à menstruação; obstipação intestinal ou diarréia no período menstrual; dor para evacuar; sangramento nas fezes; dor para urinar e sangramento na urina.

Infertilidade também é apontada como um dos sintomas, sendo associada à endometriose em 50% dos casos. Vale citar que há casos em que mulheres diagnosticadas com a doença não sentem dor, portanto somente exames para detectá-la.

Consequências da endometriose

Além das dores características da condição, mulheres que possuem a doença geralmente têm também dificuldades para engravidar. Isso porque a doença geralmente afeta partes do sistema reprodutor.

Há casos em que o tratamento para a endometriose chega a ser cirúrgico, mas geralmente mulheres realizam terapia hormonal e tomam remédios que visam amenizar ou até eliminar os sintomas.

Leia também