Empresa de design de capacetes perde contrato com Jimmie Johnson após definir como “lixo” pintura de carro de Bubba Wallace

motorsport.com

Nesta quarta-feira, poucas horas antes da etapa de Martinsville, a NASCAR divulgou que qualquer sinalização que faça menção à bandeira dos confederados está proibida dentro de um evento organizado pela categoria.

A decisão vem na esteira de uma série de medidas de apoio da categoria contra o racismo. Para a prova de Martinsville, o carro de Bubba Wallace, único piloto negro no grid, foi decorado com uma pintura do movimento Black Lives Matter.

Leia também:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

NASCAR: Wallace apresenta pintura especial do movimento "Black Lives Matter" e defende fim da bandeira confederada em provasNASCAR: Martin Truex Jr. supera punição e vence em Martinsville

E a pintura do carro #43 acabou causando controvérsia com a empresa de designs de capacetes de Bubba, a Beam Designs. Utilizando a postagem da NASCAR que apresentou a pintura do carro, o perfil da companhia definiu o desenho como “garbage” (lixo).

Curiosamente, o mesmo perfil também apresenta vários reposts que apoiam a medida que bane a bandeira dos confederados no ambiente da NASCAR. Mesmo assim, Wallace anunciou que não faria mais negócio com eles.

"Como pessoa com quem já negociei, SEMPRE respeitei o trabalho que você fez para os profissionais da indústria. Você deixou claro onde está o assunto de hoje. Todo respeito perdido por você."

Minutos depois, outro cliente da empresa, Jimmie Johnson, sete vezes campeão da NASCAR, também anunciou o fim da parceria por causa das postagens contra a pintura do carro de Bubba.

"Devido a postagens recentes nas mídias sociais, decidi encerrar meu relacionamento com a Beam Designs."

Téo José revela papo com Silvio Santos que causou redução da cobertura da Indy

PODCAST: A liderança de Hamilton pode transformá-lo em uma influência maior que Senna fora da F1?

Your browser does not support the audio element.

Leia também