Empresário, Avelar entende cortes de salário no Corinthians e prioriza saúde: 'Preocupação é a pandemia'


O Corinthians já se posicionou publicamente sobre não querer antecipar a volta do futebol e parece ter seus jogadores com o discurso afinado nesse sentido, mas não é só. Algumas figuras do elenco também se pronunciaram e disseram entender perfeitamente a redução salarial do elenco. Uma delas é o zagueiro/lateral Danilo Avelar, que está totalmente voltado a priorizar a saúde neste momento de pandemia, além de saber das dificuldades financeiras.

Em entrevista concedida para a Rádio Globo, no início desta semana, o jogador comentou as medidas tomadas pelo clube sobre cortar o salários dos jogadores em 25% neste mês, além de 70% dos funcionários e comissão técnica. Como empresário do ramo alimentício, ele tem a clara noção de que a "empresa Corinthians", apesar de grande, está sofrendo com o coronavírus.

- Eu não tenho que achar justo ou não, eu tenho que saber entender a situação. Para ter acontecido esses cortes salariais, seja atleta ou funcionário, não só do Corinthians como de outras pessoas, é porque existe uma força maior. Existe um porquê, que não cabe a mim falar, porque não estou dentro dos bastidores para saber o que se passa financeiramente em uma grande empresa, que é o Corinthians, porém sou empresário também, tenho funcionários, tenho empresa, sei o que é pagar taxas, juros, entendo os funcionários. Então entendo perfeitamente a situação financeira de uma empresa nesse momento em que todo mundo foi pego de surpresa. Empregados e empresários foram afetados - avaliou.



Embora esteja a par da questão financeira da sociedade e do clube, Avelar acredita que neste momento a maior preocupação de todos deva ser a saúde. Assim que isso for resolvido, o foco do pensamento poderia mudar.

- Na verdade, a questão financeira neste momento não me preocupa, pelo fato de que a preocupação hoje é essa pandemia. Acho que isso vai além de qualquer questão financeira, óbvio que de uma certa maneira isso afeta, mas temos que nos preocupar com a saúde, com a segurança das pessoas e consequentemente depois que tudo isso passar você consegue analisar com mais clareza as questões financeiras - declarou.

Por ter essa atenção para a saúde, Avelar acredita que ainda não há condições de tornar simples a volta das atividades normais do futebol. Para ele, o retorno só deve ser liberado quando tudo estiver mais tranquilo e mais seguro para todos os envolvidos, já que um jogo não é um time contra o outro.

- Sou a favor daquilo que seja com segurança, seja para atletas profissionais, seja para pessoas que trabalham dentro do estádio, óbvio que vai muito mais além do que um jogo, não são só dois times em campo, tem toda uma estrutura em volta, funcionários, trabalhadores... Ao meu ver não é simples assim voltar o futebol, eu sou a favor de voltar quando estiver tudo tranquilo, com saúde, com segurança, para que seja um futebol de verdade, não uma simples atração para as pessoas que estão em casa - concluiu.

Enquanto aguardam a liberação, Danilo Avelar e o elenco corintiano continuam treinando em suas casas, recebendo orientações à distâncias do departamento de preparação física do clube, em conjunto com a fisiologia, a fisioterapia e a nutrição. Não há prazo para o retorno. Em São Paulo, o governo estadual decretou quarentena, pelo menos, até o dia 31 de maio.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também