Embalado pela torcida e na base da paciência, Corinthians vence outra

·3 min de leitura


Foi no sufoco, de novo, mas o Corinthians conquistou mais uma vitória importantíssima em sua busca pelas primeiras posições no Brasileirão-2021. Com mais um gol no fim da partida, embalado pela torcida e na base da paciência, a equipe de Sylvinho fez mais uma vítima: o Fortaleza. Os resultados estão vindo, mas atuações, principalmente no primeiro tempo, não são boas.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Veja até quando vai o contrato de cada jogador do Corinthians

O roteiro da partida do último sábado foi bem parecido com aquele da última segunda-feira, com a diferença que o confronto anterior era diante da Chapecoense, lanterna do campeonato, e agora foi contra um adversário direto pelo G4 da tabela. Nas duas ocasiões o Timão mostrou alguns problemas recorrentes, como falta de intensidade e lentidão na saída de bola, especialmente na primeira etapa, algo que vem acontecendo ultimamente.

Tem sido comum, inclusive, Sylvinho corrigir situações para a segunda etapa, trocando jogadores ou não. Os resultados estão vindo dessa forma. Foi assim, que conseguiu a vitória sobre o Fluminense, a virada sobre o Internacional (depois tomou empate), o triunfo sobre a Chape e agora a vitória sobre o Fortaleza. A angústia do torcedor é pensar que essas mudanças poderiam ser feitas desde o início, sem a necessidade de sofrer tanto até o intervalo.

Mas a verdade é que o time tem conseguido se portar bem, com uma defesa sólida e paciência na condução dos jogos do meio para frente. Apesar de alguma "pressa" na primeira etapa, como o próprio Sylvinho ressaltou em entrevista coletiva depois da partida, a equipe se acalmou e conseguiu insistir até o fim para transformar o volume ofensivo em pelo menos uma bola no gol.

Dificilmente, porém, essas últimas vitórias teriam vindo se não houvesse a torcida nas arquibancadas, especialmente contra Chapecoense e Fortaleza, em que 100% da capacidade do estádio pôde ser ocupada. No entanto, contra o Bahia e contra o Fluminense já havia sido assim, com o torcedor embalando os jogadores em busca de uma vitória na Neo Química Arena. Sem isso e com a equipe jogando mal, provavelmente faltaria esse "atleta a mais" em campo.

Enquanto os resultados estiverem vindo, o Corinthians vive o melhor dos mundos, pois é de pontos e não de futebol bonito e/ou agradável que o time precisa para atingir seu objetivo de estar na Copa Libertadores. Acontece que os riscos estão sendo mais altos do que o necessário. Por detalhes, sobretudo nas últimas três vitórias em casa por 1 a 0, os nove pontos não viraram apenas três, o que deixaria o clube em uma situação difícil na tabela do Brasileirão.

O trabalho de Sylvinho não é ruim, mas ainda precisa dar alguns passos para ser bom. Com o material humano que agora ele tem em mãos, algumas questões já deveriam estar resolvidas. Pelo menos ele tem conseguido os resultados para ter tranquilidade no cargo e poder fazer as modificações que parecem aquelas mais pertinentes neste momento, como encaixar Cantillo e Mosquito no time, sem sacrificar Renato Augusto como referência no ataque.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos