Embaixadoras do JUBs, Natália Falavigna e Jhennifer Alves destacam importância do esporte universitário

·2 minuto de leitura


Os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) 2021, em Brasília, têm como embaixadores oficiais os ex-atletas universitários Maurren Maggi, Felipe Wu e Natália Falavigna, e os ainda atletas universitários Paulo André e Jhennifer Alves. As competições começaram na terça-feira. Ao todo, são 15 modalidades em disputa.

Medalhista olímpica do taekwondo, Falavigna foi eleita a melhor atleta universitária em 2009. Medalhista de prata nos Jogos Universitários Mundiais de 2002, e de ouro nos JUBs de 2009, Natália atua como Coordenadora Técnica da Seleção Brasileira de Taekwondo, gerente esportiva, palestrante e coaching.

A embaixadora acredita que o esporte e a educação devem sempre andar lado a lado.

- Eu acho de extrema importância juntar o esporte e a educação. Eu acredito que usando essas duas “armas”, a gente consegue causar uma mudança muito maior na nossa sociedade - opina.

Natália, que é pós-graduada em Saúde e Educação Física, vê a educação como primordial para a continuação da vida depois da carreira de atleta.

- Eu vejo o desporto universitário no Brasil ganhando projeção, tendo uma estrutura cada vez melhor. Isso me deixa muito animada, porque eu acho que quando a gente conseguir vincular essa massa esportiva no cenário universitário e escolar, o país só tem a ganhar - apontou a ex-atleta.

Única atleta do taekwondo brasileiro campeã mundial júnior, adulto e universitária, Natália é referência para os atletas, que cresceram vendo as conquistas da lutadora.

- Eu fico feliz em poder ser um espelho para essa geração, que está no desporto universitário. Espero que minha trajetória possa ser um incentivo para que os atletas consigam superar os resultados até hoje alcançados pelos atletas brasileiros.

A nadadora Jhennifer Alves, de 24 anos, conquistou o ouro inédito na Universíade de Nápoles, nos 100m peito, se tornando a primeira brasileira a ocupar o lugar mais alto do pódio na competição.

- Foi um título inédito na minha carreira, para o Brasil e a CBDU. É o título que mais gosto porque também mostra para todos que dá sim para conciliar o esporte com a educação aqui no Brasil - disse a nadadora.

Estudante de biomedicina na Universidade do Anhembi-SP, Jhennifer não foi liberada para disputar o JUBs por estar se preparando para a disputa do Mundial de piscina curta.

- Infelizmente não cheguei a disputar o JUBs, mas além de defender meu título na próxima Universíade, pretendo também disputar os próximos JUBs. Seria uma grande oportunidade - crava.

Jhennifer mostrou-se empolgada em ocupar esse importante cargo no evento.

- Quando me chamaram para ser embaixadora eu fiquei muito feliz e muito grata pelo reconhecimento da CBDU. É um prazer estar aqui para inspirar outras pessoas e ver os jogos - pontuou a jovem atleta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos