Embaixador do Qatar na Copa do Mundo afirma que homossexualidade é 'transtorno mental'

Khalid Salman teve entrevista interrompida após fala preconceituosa (Foto: Reprodução)


Khalid Salman, ex-jogador e embaixador do Qatar na Copa do Mundo 2022, afirmou que homossexualidade é um "transtorno mental" durante entrevista à emissora alemã ZDF. Ele também ressaltou que o país tolerará os turistas homossexuais no período da competição, mas que precisam se adaptar às regras locais.

+ Confira os 26 atletas na Seleção Brasileira na Copa do Mundo

A conversa com Khalid foi interrompida após as falas preconceituosas. Durante a entrevista, o jornalista alemão explicou que homossexualidade é permitida de acordo com a lei.

- Eles têm de aceitar as nossas regras aqui (...) Isso é "haram" (pecado no Islã, religião articulada pelo Alcorão, que prepondera no Qatar). É "haram" porque é danoso para a mente - declarou.

Em algumas seleções de países europeus, como a própria Alemanha, capitães entraram em campo nos últimos jogos e vão jogar a Copa do Mundo utilizando braçadeiras com as cores arco-íris, levando a mensagem "One Love", em homenagem à população LGBTQIA+.

No Qatar, o Código Penal proíbe a atividade homossexual para homens e mulheres. Porém, ao lado da FIFA, afirma que todos serão bem-vindos ao país para a Copa do Mundo 2022.