Em tributo a Senna, Emerson pilota Lotus. 'Temos de ter brasileiro na F-1'


Um das atrações de um evento que reuniu ex-pilotos, pilotos e carros de F-1 do passado e do presente em São Paulo, no sábado (9), Emerson Fittipaldi falou sobre diversos assuntos ligados ao automobilismo.

- Precisamos ter um brasileiro de volta na Fórmula 1 - disse o bicampeão da F-1 e das 500 Milhas de Indianápolis.

E um dos pilotos que lutam por uma vaga na categoria é justamente um dos netos de Emerson, Pietro Fittipaldi, piloto de testes da equipe Haas.

- O Pietro está ali batendo na trave na Haas. Ele fez ótimos testes, eles gostam muito dele, só que renovaram com seus dois pilotos (o francês Romain Grosjean e o dinamarquês Kevin Magnussen).

Mesmo assim, Emerson tem esperanças de que Pietro consiga uma vaga na Haas para 2021 e que o país volte a ter um representante na Fórmula 1 - algo que não acontece desde que Felipe Massa deixou a categoria, em 2017.

- A gente espera que daqui a um ano o Pietro consiga estar na F-1. Afinal, só temos um da América Latina, o Checo Pérez (Sergio Perez, da Racing Point).

No evento, Emerson pilotou a Lotus de 1985 com a qual Ayrton Senna conquistou sua primeira vitória na F-1, no GP de Portugal.

- Fico sem palavras, muitas emoções, muitas lembranças. Ainda novo o Ayrton costumava sair do kartódromo e ficava olhando os testes com os F-1. Ele tinha o sonho de ser piloto de Fórmula 1. Era muito acanhado. E a partir daí eu sempre tive uma amizade muito grande com o Ayrton e com a família dele.

A emoção de Emerson era dupla. Afinal, foi com a Lotus que ele também obteve seu primeiro título mundial na categoria, em 1972, na época do lendário Colin Chapman, chefe da equipe.

- Essa Lotus é um carro histórico. Foi com ela a primeira vitória do Ayrton. Para mim, é uma honra poder pilotar o carro do Senna aqui em São Paulo, onde a gente começou. O carro está exatamente como o Ayrton guiava.

- O mecânico que está aqui estava com Ayrton na primeira vitória dele, então é muita história com a Lotus. É o momento de reviver aquelas alegrias que o Ayrton dava para a gente, com tantos triunfos e tanto orgulho de ser brasileiro. Foi uma festa muito grande antes do GP do Brasil - finalizou.



















Emerson, Massa, Pietro, Gutiérrez e Collet
Emerson, Massa, Pietro, Gutiérrez e Collet

Emerson, Felipe Massa, Pietro Fittipaldi, Esteban Gutiérrez e Caio Collet durante tributo a Senna (Divulgação/José Mario Dias)


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também