Em trajetórias distintas, Ceni e Abel fazem duelo à parte em 'decisão' entre Flamengo e Internacional

LANCE!
·3 minuto de leitura


O confronto entre Flamengo e Internacional, neste domingo pela 37ª rodada do Brasileirão, colocará frente a frente dois técnicos em momentos distintos das carreiras, e com ideias de jogo também diferentes: Rogério Ceni, de 48 anos, e Abel Braga, 68. De um lado, o mais novo encarou o desafio de assumir o campeão nacional e sul-americano de 2019 com a cobrança de seguir enfileirando títulos. Do outro, o consagrado Abelão tenta escrever novo capítulo histórico no Colorado e deixar para trás os questionados trabalhos recentes, inclusive no Ninho. As diferenças também estão no estilo de jogo.

Ou seja, a diferença mínima de pontos na tabela e o retrospectos idênticos no comando de suas esquipes no Brasileirão são as únicas similaridades entre os dois candidatos ao título, que entram em campo às 16h, no Maracanã. Confira a classificação completa e simule os resultados das rodadas finais do Brasileiro!

> Confira a classificação completa e simule as rodadas finais do Brasileirão!

APROVEITAMENTO IDÊNTICO NO BRASILEIRÃO!

Substitutos de Eduardo Coudet e Domènec Torrent, Abel Braga e Rogério Ceni assumiram os respectivos times na 21ª rodada do Brasileirão. Desde então, os aproveitamentos de Internacional e Flamengo no campeonato são idênticos: 68,8%, com 10 vitórias, três empates e três derrotas em 16 rodadas disputadas.

O desempenho ofensivo do time de Ceni é melhor, com 32 gols marcados contra 28 feitos pela equipe de Abel. Por outro lado, a defesa do Colorado é mais sólida no período: 15 gols sofridos contra 16 sofridos pelo Rubro-Negro.

AS DUAS TRAJETÓRIAS NA ÁREA TÉCNICA

Após defender Fluminense, Vasco, Paris Saint-Germain e Botafogo, entre outros clubes, como zagueiro, Abel Braga iniciou sua carreira de treinador em 1985. Desde então, trabalhou em vários grandes clubes brasileiros e tem passagens pelo futebol de Portugal, da França e dos Emirados Árabes. No currículo, 10 títulos estaduais, um Brasileirão - pelo Fluminense, em 2012 - e, pelo Inter, as históricas conquistas da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes em 2006.

Rogério Ceni iniciou a carreira como treinador em 2017, no São Paulo, clube no qual fez história como goleiro. Desde então, teve rápida passagem pelo Cruzeiro, em 2019, e fez seu melhor trabalho no Fortaleza, em duas passagens, onde foi campeão da Série B, duas vezes do Cearense e da Copa do Nordeste.

AS DIFERENÇAS NO ESTILO DE JOGO

Se os números são parecidos, os estilos de jogo de Internacional e Flamengo são diferentes. Rogério Ceni e Abel Braga, que estão há pouco mais de três meses trabalhando nos respectivos clubes, trabalham com ideias distintas para chegar ao mesmo resultado: a vitória e, neste caso, o título do Brasileirão.

O Flamengo, com Rogério Ceni, busca controlar as ações ofensivas a partir da posse de bola e da marcação com linhas altas, fazendo a pressão pós-perda imediata. Assim, também busca minimizar os riscos defensivos, procurando impedir os contra-ataques adversários - problema durante o ano - na origem.

O Internacional de Abel Braga, por sua vez, propõe um jogo mais agudo, no qual as jogadas rapidamente saem do campo defensivo para a área rival.

Questionado sobre o duelo de estilos dos treinadores durante a semana, o capitão Diego - que trabalhou com ambos no Ninho do Urubu - deu sua visão.

- Nós entramos com o grande objetivo de vencer. Como vai ser,
obviamente dentro das nossas características... Uma das nossas
qualidades é saber encontrar soluções dentro do jogo para vencer.
Temos uma equipe preparada para um jogo mais técnico e também mais
disputado. É assim que vamos para o jogo. Prontos para solucionar
qualquer situação que aconteça. Nosso objetivo é vencer e estamos
preparados para fazer o que for necessário - respondeu o camisa 10 do Fla.