Em tom realista, presidente do Cruzeiro espera o acesso, mas diz que não precisa ser campeão da Série B

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


O Cruzeiro busca uma redução de 20% em sua imensa dívida já no seu próximo demonstrativo financeiro do clube. É o desejo e a previsão do presidente Sérgio Santos Rodrigues, que tenta fazer com que o montante de R$ 1 bilhão seja reduzido para dar ao clube azul fôlego em seu processo de recuperação.

- Sobre a dívida, muitos acordos que fizemos foram no último trimestre. Então, na parcial que a gente soltou, eles não tinham saído ainda, e aí a dívida estava na casa do bilhão. Quando publicarmos os acordos todos, creio que vamos fechar com uns R$ 800 milhões de dívida-disse em entrevista ao Jornal O Globo. .
A expectativa de Sérgio na queda do déficit celeste é pelos acordos feitos pelo clube com a Fazenda Nacional, que concedeu um prazo maior para quitar débitos e ainda com descontos generosos.

CONFIRA A TABELA ATUALIZADA DA SÉRIE A DO BRASILEIRÃO

Além de questões financeiras, Sérgio Santos Rodrigues, em tom mais realista, comentou sobre a maior meta da Raposa para este ano: subir para a Série A de 2022. E, o presidente afirmou que não tem de vencer a competição, e sim conseguir o acesso.

- Evito ao máximo a futurologia. Se a gente pegar exemplos passados, cada um teve particularidade. O Atlético caiu em 2005 e foi ganhar título só em 2013. O Inter caiu num ano e no outro foi para a Libertadores. Quando o Cruzeiro vai ganhar um título? Pode ser este ano. Por que o Cruzeiro, no ano do centenário, não pode ganhar? Mas a gente trabalha com pé no chão. O objetivo é a Série A. Claro que eu quero ganhar. Mas não tenho obrigação. Na Copa do Brasil, vamos uma fase de cada vez. A meta na Série B é subir. Não precisa ser campeão-concluiu.

O Cruzeiro não conseguiu o acesso à elite nacional e será o primeiro grande a jogar a segunda divisão por dois anos seguidos desde que este modelo de campeonato foi instituído.