Em seca de títulos, São Paulo tenta recuperar orgulho no Paulista

Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Campeão estadual pela última vez em 2005, o São Paulo estreia no Campeonato Paulista nesta quarta-feira (22), às 21h30, diante do Água Santa com um objetivo mais imediato na primeira competição do ano: superar os arquirrivais na fase inicial.

Afinal, desde 2015, quando liderou sua chave e somou um ponto a mais que o Palmeiras (32 a 31) na etapa de grupos, o clube tricolor não consegue superar seus principais rivais --Corinthians, Santos e o próprio time alviverde-- ao término da fase que precede o mata-mata.

Em 2016, o São Paulo somou apenas 22 pontos em seu grupo e ficou atrás do Audax, time pelo qual foi eliminado ainda nas quartas de final. Assim como o time de Osasco, o Palmeiras fez 24 pontos, o Corinthians, 35 e o Santos, que seria o campeão, 32.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No ano seguinte, o clube do Morumbi retomou a ponta da chave, com 20 pontos, mas ficou atrás dos também líderes Santos (22), Palmeiras (25) e Corinthians (24).

Em 2018, foram apenas 17 pontos somados nos 12 primeiros jogos, menos que Santos (18), Corinthians (23) e Palmeiras (26). Pelo segundo ano seguido, a equipe do Morumbi caiu nas semifinais diante do Corinthians.

No ano passado, o São Paulo chegou à final, mas sem evitar o sofrimento: novamente terminou em segundo da chave, atrás do Ituano e com pontuação abaixo da dos demais clubes grandes.

"Sabemos que no São Paulo tem que querer mais. Estamos focados para ter um ano para ganhar títulos. Essa camisa é pesada demais para ficar muito tempo sem títulos", afirmou Bruno Alves.

Sem novas contratações, a aposta do clube agora é recuperar atletas que terminaram 2019 em baixa. Como o meia Hernanes, 34, que atuou somente em 59% dos jogos do time no ano passado, e Alexandre Pato, 30, que jogou metade dos jogos do clube desde a sua volta ao Morumbi.

Apenas o primeiro deles, no entanto, deverá ser titular na estreia, se aproveitando da ausência de Igor Gomes, a serviço da seleção brasileira sub-23.

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Hernanes; Vítor Bueno, Helinho e Pablo. T.: Fernando Diniz

ÁGUA SANTA

Thomazella, Luis Ricardo, Walisson Maia, Naylhor e Peri); Wellington Reis, Pio, Marquinhos e Felipe Azevedo; Dinei e Robinho. T.: Fernando Marchiori

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)

Horário: 21h30 desta quarta-feira

Árbitra: Edina Alves Batista (FIFA-SP)

Leia também