Em memória: 10 profissionais do futebol que perderam a vida para a Covid-19

·4 minuto de leitura

Neste fim de semana, o Brasil superou a triste marca de 500 mil mortos pela Covid-19.

O 90min se solidariza com familiares de todas as vítimas e presta uma homenagem a 10 profissionais do futebol que morreram após complicações da doença. Que suas histórias nunca sejam esquecidas entre tantas vidas perdidas em meio à pandemia.

1. Marcelo Veiga

Marcelo Veiga treinava o São Bernardo, de São Paulo | Ettore Chiereguini/AGIF
Marcelo Veiga treinava o São Bernardo, de São Paulo | Ettore Chiereguini/AGIF

Campeão gaúcho e da Copa do Brasil pelo Internacional como jogador (1992), Marcelo Veiga teve uma bela trajetória na área técnica de clubes pequenos e médios do futebol brasileiro. É um dos maiores nomes da história do Bragantino, clube pelo qual se aproximou da marca de 500 partidas disputadas.

Seu último trabalho foi no São Bernardo (SP), equipe que comandava quando veio a adoecer e falecer, em dezembro de 2020. Ele tinha apenas 56 anos de idade.

2. René Weber

René Weber teve longa trajetória no futebol | Crédito: Divulgação
René Weber teve longa trajetória no futebol | Crédito: Divulgação

Natural do Rio Grande do Sul, René teve sucesso na Cidade Maravilhosa, vestindo a camisa do Fluminense ao longo de oito anos e conquistando quatro títulos nas Laranjeiras como atleta.

Depois de se aposentar dos gramados, seguiu trabalhando com futebol, mas na área técnica. Entre passagens como técnico e auxiliar, comemorou títulos expressivos no Botafogo e no Grêmio. Faleceu no dia 16 de dezembro, aos 59 anos de idade.

3. Paulo Magro

Paulo Magro nos deixou em dezembro de 2020 | LIAMARA POLLI/AM Press & Images/Gazeta Press
Paulo Magro nos deixou em dezembro de 2020 | LIAMARA POLLI/AM Press & Images/Gazeta Press

Outro clube brasileiro que lamentou a perda de um de seus grandes foi a Chapecoense. No dia 20 de dezembro do ano passado, veio a falecer Paulo Magro, um dos nomes mais importantes para o processo de reconstrução e reorganização do clube catarinense. Ele ocupava o cargo de presidente do Verdão do Oeste desde meados de 2019.

4. Biagio Peluso

Biagio Peluso faleceu em dezembro de 2020 | Alessandra Torres/AGIF
Biagio Peluso faleceu em dezembro de 2020 | Alessandra Torres/AGIF

O Cruzeiro decretou luto de três dias para homenagear e honrar a memória de Biagio Teodoro Peluso, falecido no dia 13 de dezembro de 2020 aos 71 anos de idade, em virtude de complicações oriundas da Covid-19. De longa trajetória e conexão com a vida política do clube mineiro, ele atuava na diretoria executiva da Raposa, sendo, por hierarquia, o 2º vice-presidente da gestão Sérgio Santos Rodrigues.

5. Marco Bobsin

Bobsin tinha décadas de trajetória política no Grêmio | Crédito: Divulgação
Bobsin tinha décadas de trajetória política no Grêmio | Crédito: Divulgação

Considerado como um dos principais articuladores do processo de pacificação política do Grêmio, Marco Bobsin faleceu aos 68 anos de idade, em 13 de setembro de 2020. Ele ocupava uma das cadeiras do Conselho de Administração da gestão do presidente Romildo Bolzan Júnior, atuando como um dos vice-presidentes do clube gaúcho.

6. Jorginho

Jorginho era adorado nos bastidores do Flamengo | Crédito: Divulgação
Jorginho era adorado nos bastidores do Flamengo | Crédito: Divulgação

Uma perda que machucou o coração de múltiplas gerações de torcedores e profissionais ligados ao Flamengo: em maio do ano passado, o clube carioca chorou o adeus de Jorginho, massagista que dedicou nada menos do que 40 anos de sua vida ao Rubro-Negro (1980-2020). Muito querido nos bastidores da Gávea, comemorou a conquista de 31 títulos em sua trajetória no Mais Querido.

7. Cristiano Oliveira

Cristiano trabalhava no Palmeiras | Crédito: Divulgação
Cristiano trabalhava no Palmeiras | Crédito: Divulgação

No dia 12 de junho de 2021, o Palmeiras comunicou, com grande pesar, o falecimento de um de seus "funcionários anônimos" mais queridos nos bastidores do clube: o segurança Cristiano Oliveira, carismático e dono de um bom humor que contagiava a todos.

8. Edson Silva

Edson Silva era funcionário querido no Palmeiras
Edson Silva era funcionário querido no Palmeiras

No mesmo dia em que perdeu Cristiano, o Palmeiras lamentou a perda de outro profissional altamente identificado com o clube: o podólogo Edson Silva, um dos integrantes do Núcleo de Saúde e Performance do Verdão, funcionário com mais de dez anos de casa. Seu falecimento foi bastante lamentado por torcedores e jogadores alviverdes.

9. Ruy Scarpino

Scarpino comandava equipe amazonense | Paulo Binda/MyPhoto Press/Gazeta Press
Scarpino comandava equipe amazonense | Paulo Binda/MyPhoto Press/Gazeta Press

Nascido no Espírito Santo, Scarpino marcou época no futebol do Maranhão, conquistando acessos e títulos estaduais por Moto Club e Imperatriz. Antes disso, no entanto, teve uma passagem marcante pelo Ituano (2000-2003), conquistando uma edição de Paulistão e a Série C de 2003. Faleceu aos 59 anos de idade, no último dia 3 de março.

10. Salézio Kindermann

Salézio foi um grande incentivador do futebol feminino | Crédito: Divulgação
Salézio foi um grande incentivador do futebol feminino | Crédito: Divulgação

Grande entusiasta e incentivador do futebol feminino em solo brasileiro, o catarinense ocupava o cargo de presidente do Avaí Kindermann e gestor do Napoli, duas equipes que disputam a primeira divisão do Brasileirão Feminino nesta temporada. Após 37 dias internado na UTI lutando contra a Covid-19, Salézio acabou falecendo no dia 15 de maio de 2021, aos 77 anos de idade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos