Em má fase no Vasco, Abel tem pela frente o Fluminense "do coração"

Goal.com

"Sou tricolor de coração". Foi assim que o técnico Abel Braga comemorou os 60 anos, em 2012, admitindo que levava o Fluminense, clube que guiaria ao título do Brasileiro meses depois, consigo em um lugar especial. Um amor que pode presenciar a sua saída do Vasco, neste domingo, no encontro entre as duas equipes pelo Campeonanto Carioca.

Em baixa após um mau começo de ano, piorado pela derrota para o Goiás, na quinta-feira, pela Copa do Brasil, Abel Braga vive clima de últimos dias na Colina, onde chegou para tentar dar seguimento ao bom trabalho de Vanderlei Luxemburgo à frente do clube em 2019.

Até agora, foram quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas nos jogos disputados pela equipe em 2020, com menos de 50% de aproveitamento. Chama atenção ainda a dificuldade para marcar gols: foram apenas oito marcados, sendo que três deles em uma mesma partida, contra a Portuguesa da Ilha do Governador.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Do outro lado, Abel verá o clube que reconheceu dominar seu coração em uma boa fase, certamente a segunda melhor entre os cariocas na temporada. Com Nenê artilheiro e sinais de evolução, o Fluminense não parece abalado nem pela queda precoce na Copa Sul-Americana, diante do Unión La Calera.

Abel Braga Fluminense Portuguesa-RJ Carioca Taca Guanabara 24012018
Abel Braga Fluminense Portuguesa-RJ Carioca Taca Guanabara 24012018
Foto:Lucas Merçon/Fluminense/Divulgação

Sem saber por quanto tempo seguirá à frente dos vascaínos, que já começam a se movimentar no mercado em busca de um novo nome, Abel precisará mostrar um futebol que parece escondido no bom potencial demonstrado pelos vascaínos no ano passado. Para isso, tentará extrair algo além da apatia vista contra os goianos.

"Tivemos que correr atrás do Goiás. Falei: ‘vocês me passam uma coisa no treinamento e têm uma atitude daquelas no primeiro tempo?’. Nos sentimos envergonhados. Você não vai na qualidade, mas tem que ir no esforço. Foi só isso que tivemos no segundo tempo. Tínhamos que melhorar bastante. Se tiver que mudar quatro ou cinco, eu não me importo. O Vasco tem que dar a resposta", afirmou após o revés.

Além de fundamental para a permanência no cargo, um triunfo no clássico pinta como importante pensando em classificação à próxima fase da Taça Rio. Atualmente com dois pontos conquistados, o Vasco já não poderia alcançar o Flu em caso de derrota.

Caso haja um vencedor no duelo entre Madureira e Volta Redonda, a segunda vaga demandaria uma boa combinação de resultados para ficar com o Vasco. Fora do mata-mata já na Taça Guanabara, o Cruz-Maltino acumularia mais um fracasso no ano. E o trabalho de Abel Braga ficaria praticamente insustentável diante da pressão que ele já sofre atualmente.

Leia também