Em despedida de Falcão, Brasil vence com gols de diferentes gerações

Jonas Moura e Rafael Bortoloti

No mesmo palco que o Brasil presenciou as mãos de Arthur Zanetti ganharem a prata na Olimpíada, a Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, cerca de 5 mil torcedores viram neste domingo os pés de Falcão e companhia despacharem a Colômbia no Desafio Internacional de futsal pelo placar de 3 a 2, em confronto que pode ter marcado a despedida do ala da Seleção. Ele ainda negocia com a CBF um jogo festivo no segundo semestre.

O evento contou com a participação efetiva do craque de 39 anos e de seus possíveis substitutos, se é que possível classificá-los assim. Ainda na faixa dos 20 anos, eles aproveitaram os últimos momentos ao lado do astro, que, mesmo sem fazer jogadas brilhantes, roubou a cena. A partida também serviu como preparação dos comandados de PC Oliveira para a Copa América, que começa no dia 5 de abril, em San Juan, na Argentina.

Impulsionado por uma torcida organizada mirim, formada por convidados de um projeto social, o Brasil foi para cima logo no início. Marcel, aos 18 do fim da primeira etapa, e Lino foram os que chegaram mais perto do gol.

Mas não havia nome melhor para abrir o placar do que Falcão, que saiu do banco e logo no primeiro chute fez 1 a 0, aos dez do fim. Após escanteio, o craque acertou uma bomba da entrada da área. A torcida foi à loucura. Parecia gol em final de Copa do Mundo

O segundo não demorou muito. Lucas foi à linha de fundo e tocou para Alex, de 23 anos, que acertou um belo chute pouco menos de seis minutos do fim. A comemoração da torcida não foi tão intensa como no primeiro tento. Afinal, o personagem principal era outro.

A Colômbia descontou em seguida. Reyes recebeu na esquerda, limpou a marcação e chutou no ângulo. Sem chances para Tiago. Assim como foi constante nos Jogos Olímpicos, os anfitriões vaiaram o gol colombiano.

Lino, de 21 anos, e o principal candidato a substituir o gênio, ampliou para o Brasil. Ele recebeu marcado pelo goleiro Moreno, mas fez o giro e guardou outro lindo gol.

O Brasil foi muito superior na primeira etapa, mas o mesmo não pode ser dito quanto ao início do segundo tempo. De pênalti, Caro descontou: 3 a 2. Em contra-ataque, os adversários, que mostravam melhor condição física do que os brasileiros, quase empataram com Reyés e seguiram avançando até o fim, com boas jogadas.

No fim, Arthur, companheiro de Falcão no Magnus Futsal, sofreu falta na entrada da área. O ídolo chutou forte e obrigou Moreno a fazer grande defesa. O duelo seguiu disputado, mas nada estragou a festa do protagonista. No último lance, ele ainda tirou tinta da trave.












E MAIS:

Leia também