Em 'decisão' contra o Flamengo, Corinthians busca superar retrospecto ruim contra o G8

Alexandre Guariglia
·3 minuto de leitura


O duelo deste domingo, às 16h, entre Flamengo e Corinthians traz muitos elementos além da rivalidade nacional das duas maiores torcidas do país. O jogo tem potencial para definir a vida de ambos no Campeonato Brasileiro, para um, o objetivo é o título, para outro, uma vaga na Libertadores. Só que para isso o Timão terá que superar um retrospecto ruim contra o G8.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

GALERIA
> Timão pode ter pior artilheiro na década; confira os goleadores desde 2011

A partida, com cara de decisão no Maracanã, vale os mesmos três pontos das outras rodadas, mas uma derrota nesta reta final da competição pode ser fatal para ambos os lados, principalmente por conta da situação embolada na disputa tanto pela taça quanto pela classificação para a Liberta, elementos que aumentam ainda mais o grau de dificuldade desse confronto pela 36ª rodada.

Se já seria difícil para o Corinthians enfrentar um time que hoje está em outro patamar em diversos aspectos do futebol, como é o Flamengo, terá também de batalhar para superar uma marca negativa dos corintianos neste campeonato, que é o retrospecto contra as equipes que estão nas sete primeiras posições na tabela, ou seja, as que estão à frente do Timão na classificação do nacional.

Das 13 partidas que fez contra esses adversários (Internacional, Flamengo, Atlético-MG, São Paulo, Fluminense, Grêmio, Palmeiras e Santos), o Alvinegro do Parque São Jorge venceu apenas três (Inter, Tricolor paulista e Flu), todas elas na Neo Química Arena e com apresentações muito boas já com Mancini.

Além disso, empatou duas vezes em 0 a 0 com o Grêmio, e uma vez em 1 a 1 com o Peixe, somando mais três pontos, totalizando 12 pontos de 39 possíveis nesse recorte contra os atuais "primeiros" da tabela do Campeonato Brasileiro.

Isso significa um aproveitamento de 30,77%, que em resumo seria conquistar apenas um ponto a cada três disputados diante dos times do G8. Muito pouco, pensando que três dos próximos quatro jogos serão contra equipes do topo da tabela: Flamengo, Santos e Internacional, todos eles fora de casa e decisivos.

Além das três vitórias e dos três empates, são sete derrotas para o grupo do G8: duas diante do Palmeiras, duas diante do Atlético-MG, uma diante do São Paulo, uma diante do Flamengo e uma diante do Fluminense, sendo algumas delas bastante significativas, como o 5 a 1 aplicado pelo Fla, em casa, e o 4 a 0 aplicado pelo Verdão, fora de casa, goleadas duras em "choques de realidade".

Ao todo, foram 14 gols marcados (1,08 por jogo) e 21 gols sofridos (1,62 por jogo) para os adversários do G8, mas mais do que números a questão é a dificuldade em se impor contra clubes que estão em melhor momento esportivo. Daqui para frente, nesta reta final, o Corinthians terá de superar esses problemas e esses rivais, começando neste domingo, pelo Flamengo.

Corinthians contra os adversários do G8:

Santos (8º)
​Empate em 1 a 1 na Neo Química Arena

Palmeiras (7º)
Duas derrotas: 2 a 0 na Neo Química Arena, e 4 a 0 no Allianz Parque

Grêmio (6º)
Dois empate: 0 a 0 na Arena do Grêmio, e 0 a 0 na Neo Química Arena

Fluminense (5º)
Uma derrota: 2 a 1 no Maracanã
Uma vitória: 5 a 0 na Neo Química Arena

São Paulo (4º)
Uma derrota: 2 a 1 no Morumbi
Uma vitória: 1 a 0 na Neo Química Arena

Atlético-MG (3º)
Duas derrotas: 3 a 2 no Mineirão, e 2 a 1 na Neo Química Arena

Flamengo (2º)
Uma derrota: 5 a 1 na Neo Química Arena

Internacional (1º)
Uma vitória: 1 a 0 na Neo Química Arena