Em casa no Fortaleza, Rogério Ceni resiste a assédio por renovação e reforça idolatria

Yahoo Esportes
Rogério Ceni fica no Fortaleza para a temporada de 2020 (Bruno Ulivieri/AGIF)
Rogério Ceni fica no Fortaleza para a temporada de 2020 (Bruno Ulivieri/AGIF)

Por Afonso Ribeiro (@afonsoribeiro_)

Entre um treino e outro da pré-temporada do Fortaleza – a terceira consecutiva no clube –, Rogério Ceni se dividiu entre análise de vídeos de possíveis reforços, ligações para jogadores e... procura por um novo lar. O treinador se manteve na orla da capital cearense, mas agora mais próximo do clube onde joga tênis. Feliz na cidade, resistiu ao assédio de outras equipes para renovar até o final de 2020, doou R$ 100 mil para obras no clube e reforçou o status de ídolo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Na primeira passagem pelo Pici, entre novembro de 2017 e agosto de 2019, o comandante conquistou os títulos inéditos da Série B e da Copa do Nordeste e um Campeonato Cearense. Após o breve hiato de 50 dias entre a ida e volta do Cruzeiro, retornou em outubro do ano passado para colocar o Leão na nona posição do Campeonato Brasileiro, com classificação para a Copa Sul-Americana e a melhor campanha da história na elite nacional.

As conquistas à frente da equipe, a sintonia com a torcida e a repercussão que gera ao clube o colocaram no patamar de maior treinador do Fortaleza, reforçado no último dia 22, em que Ceni completou 47 anos e recebeu diversas homenagens de tricolores – de Fortaleza e de São Paulo.

A relação, porém, poderia ter sido novamente interrompida no mês passado. O trabalho no clube cearense despertou a atenção do mercado, sobretudo do Athletico, que perdeu o técnico Tiago Nunes para o Corinthians antes do fim da temporada. O Furacão, por meio do diretor de futebol Paulo André e do presidente Mário Celso Petraglia, conversou com Rogério Ceni, apresentou proposta e chegou a conversar sobre 2020, mas viu o treinador recusar a convite – o Furacão contratou Dorival Júnior posteriormente.

"O Ceni ficou porque ele quis ficar, pelo projeto. O Athletico veio forte para tentar levá-lo, e ele me abriu isso, e outros clubes de altíssimo nível também o procuraram, pelo menos dois. Não vou dizer os nomes porque ele me pediu que não dissesse. Eu sei, mas não posso dizer. Ele ficou porque quis ficar, não foi por falta de proposta, não", confirmou o presidente Marcelo Paz, em entrevista à Rádio O Povo/CBN.

Leia também:

Na semana em que analisava as ofertas de Fortaleza e Athletico, o treinador, que estava na Granja Comary, em Teresópolis, para o curso da Licença PRO da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), foi sondado pelo Atlético-MG e por outro clube brasileiro, mas não abriu negociação. A opção pela continuidade já era esperada internamente no Tricolor, mas causou surpresa no mercado da bola.

Além da curta e traumática experiência no Cruzeiro, o respaldo no Leão do Pici e a satisfação em viver em Fortaleza motivaram a permanência. Habituado à cidade, Ceni costuma jogar tênis três vezes por semana – quando o calendário de jogos permite –, em um clube particular de alto padrão, tem um grupo de amigos que também praticam o esporte e aprecia a moradia de frente para o mar. O gosto pela raquete e pela bolinha verde, inclusive, serviu de mote para o anúncio da renovação nas redes sociais do Fortaleza.

No ano passado, ao retornar de Belo Horizonte, hospedou-se por alguns dias na sede do Fortaleza, mas logo arranjou um lar. Desta vez, após a renovação, passou breve período em hotel até alugar novo apartamento, ainda mais próximo ao local onde pratica o segundo esporte preferido nas raras horas de lazer.

O novo vínculo com o Tricolor, com duração até o final desta temporada, inclui um aumento salarial – de R$ 250 mil para cerca de R$ 320 mil, apurou o Yahoo Esportes – e premiações em caso de conquista de títulos das competições.

"Futebol tem premiação por conquista. Então, no ano passado, o Rogério recebeu muita premiação por conquista, porque ele foi campeão cearense, campeão do Nordeste, levou o time para a Sul-Americana... Tudo isso está na nossa proposta para ele. Está tudo documentado", justificou Marcelo Paz.

Doação ao clube pré-renovação

Antes mesmo de definir a continuidade no Pici, Rogério Ceni decidiu doar parte da premiação pela classificação para a Sul-Americana para contribuir no andamento das obras do Centro de Exclência Alcides Santos, na sede do clube. Em conversa com Marcelo Paz no vestiário da Arena Castelão, após a vitória por 2 a 1 sobre o Bahia, o treinador se dispôs a dar R$ 100 mil ao clube, independentemente da renovação ou não.

O gesto, anunciado pelo clube após a extensão do contrato, motivou a criação da Vaquinha do Mito, que pretende arrecadar outros R$ 300 mil de doações da torcida para concluir a segunda etapa das obras – o montante atual está em R$ 266 mil.

O dia 8 de dezembro, aliás, foi marcante para o treinador. Com o Castelão lotado, a torcida protagonizou grande festa ao final da partida e fez ecoar o grito de “fica, Rogério”, emocionando o ídolo. Fontes ouvidas pelo Yahoo Esportes relataram que Ceni nunca tinha sido visto tão feliz em um pós-jogo, tanto pelo desempenho da equipe na temporada como pelo apelo dos torcedores.

Contato direto com alvos do mercado

Com base mantida e à caça de reforços pontuais, treinador trabalha por bons resultados em 2020 (Luan Erick/Fortaleza EC)
Com base mantida e à caça de reforços pontuais, treinador trabalha por bons resultados em 2020 (Luan Erick/Fortaleza EC)

Sob o comando de Ceni, o Fortaleza se habituou a fazer poucas contratações, priorizando jogadores polivalentes e dentro das características traçadas pelo departamento de futebol. A busca pelos atletas desejados inclui horas de análises de vídeos, reuniões internas e ligação do treinador para apresentar ideias táticas e sentir a vontade do alvo em vestir a camisa tricolor.

"Muita coisa pesa. A escolha pelo Fortaleza pesou, sim, a ligação do Rogério Ceni. A gente sabe da pessoa e do profissional que ele é, do trabalho que ele realiza. Eu confiei. Depositei essa confiança e creio que, para mim, vai ser muito bom estar evoluindo como profissional e homem, aprendendo com o mito", admitiu o volante Michel, emprestado pelo Grêmio, que tinha propostas de Vasco e Goiás.

O contato direto do ex-goleiro com os pretendidos, que geralmente estão em período de férias, causam surpresa e também situações inusitadas. O atacante Gustagol, por exemplo, estava em Orlando, nos Estados Unidos, quando o telefone tocou e achou se tratar de um trote. Só depois confirmou que de fato era Rogério Ceni querendo levá-lo para o Fortaleza, onde o atual camisa 19 do Corinthians se destacou e marcou 30 gols em 2018.

Na atual janela de transferências, o técnico já sacou o celular para conversar, por exemplo, com os atacantes Marcinho, do Chongqing Lifan, da China, e David, do Cruzeiro, na esperança de atraí-los. O primeiro atuou no Tricolor em 2018 e 2019 e tentar deixar o clube asiático após sete meses de poucas oportunidades, enquanto o segundo se desvinculou da Raposa e estuda ofertas do mercado.

O Leão do Pici ainda procura contratações para o setor ofensivo para manter o esquema com quatro atacantes e teve outros alvos no mercado. Os atacantes Edinho, do Atlético-MG, e Rossi, que trocou o Vasco pelo Bahia, foram tentativas frustradas. O Yahoo Esportes apurou que o clube ainda fez oferta de US$ 500 mil (cerca de R$ 2,1 milhões) pelo empréstimo de um jogador do futebol espanhol, mas a equipe europeia recusou o valor.

“Está tudo muito caro. Os jogadores estão ganhando bem, as transações estão ficando cada vez mais pesadas, os empresários têm um poder de decisão cada vez maior sobre o futuro do atleta e fica difícil para a gente trazer", lamentou o técnico após o 0 a 0 com o Vitória, pela Copa do Nordeste, na estreia oficial da temporada.

A participação direta de Rogério Ceni também serviu para manter a maior parte do elenco de 2019. Sondado por clubes brasileiros e estrangeiros, o zagueiro colombiano Juan Quintero, titular absoluto da equipe e um dos sul-americanos contratados pelo Tricolor desde a chegada do técnico, decidiu permanecer no clube em razão de um acordo firmado com o ex-goleiro.

"Na verdade, fui muito claro com o Rogério. Quando ele me falou que queria ficar aqui no Fortaleza, dei minha palavra que se ele ficasse, eu ficaria também. Não aceitei outras propostas porque dei minha palavra para ele de que ficaria aqui. Agora estou focado aqui no Fortaleza, no ano de 2020. Estou sendo muito feliz aqui", revelou o defensor.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter

Leia também