Em casa e dono do vestiário, Neymar fica perto de renovar com PSG e aguarda por Messi

Tiago Leme
·5 minuto de leitura
Neymar é o mais influente do PSG. Foto: Xavier Laine/Getty Images
Neymar é o mais influente do PSG. Foto: Xavier Laine/Getty Images

Paris (FRA)

A classificação à semifinal da Liga dos Campeões da Europa deixou ainda mais perto a renovação do contrato de Neymar com o Paris Saint-Germain. Ao superar o atual campeão Bayern de Munique e estar entre os quatro melhores do torneio pela segunda temporada seguida, o time francês deu mostras que entrou de vez no patamar de brigar por títulos com grandes clubes do continente. E este é mais um passo do processo que fez o camisa dez brasileiro mudar a sua relação com Paris nos últimos anos. Agora se sentindo em casa, à vontade nos vestiários e elogiado, o atacante tem um sonho para que a prolongação do vínculo passe do acerto na teoria para a assinatura na prática: a contratação de Lionel Messi.

O contrato de Neymar com o PSG termina em junho de 2022, e a expectativa é que ele renove até junho de 2026. Já existe um acordo apalavrado entre as duas partes, mas ainda falta a assinatura para oficializar. Se por um lado a diretoria pressiona para que isso aconteça logo, por outro o staff do atleta tenta ganhar tempo até o final da temporada.

Leia também:

Nesta terça-feira, depois de avançar à semifinal da Champions League com o resultado agregado por 3 a 3 e vantagem no gol fora de casa, com a derrota por 1 a 0 para o Bayern no Parque dos Príncipes, Neymar foi questionado se ficaria no PSG.

“Acho que isso não é nem mais assunto, óbvio que me sinto muito à vontade, muito em casa aqui no Paris Saint-Germain. Me sinto mais feliz do que estava antes", respondeu o camisa dez, em entrevista à “TNT Sports”.

Após desembarcar em Paris em agosto de 2017, Neymar passou por alguns problemas em suas duas primeiras temporadas que ofuscaram as boas atuações, como as duas lesões sérias no quinto metatarso do pé direito, a briga pelos pênaltis com Cavani, críticas da torcida, insatisfação com a cidade e os constantes rumores de volta ao Barcelona. No meio de 2019, houve negociação e faltou pouco para ele retornar ao clube catalão, mas a diretoria parisiense não o liberou.

No entanto, a situação mudou completamente depois disso. O brasileiro teve grande desempenho em campo, se destacou, ganhou elogios e levou o PSG ao vice-campeonato da Champions em 2020, em Lisboa. Sem polêmicas fora das quatro linhas, o foco ficou mais direcionado para o futebol. Neymar é um dos principais líderes do elenco e tem ótimo relacionamento com os companheiros. Dono do vestiário, o craque de 29 anos é um motivador do grupo, demonstrando seriedade antes dos jogos decisivos, mas também brincalhão em diversos momentos, deixando o ambiente mais leve. De fato, ele se sente em casa. Mesmo ainda sem dominar a língua francesa, ele evoluiu no idioma, mas ainda se comunica quase sempre falando em espanhol, aproveitando as presenças dos argentinos Di Maria, Paredes e Icardi, do costarriquenho Navas, dos espanhóis Herrera, Sarabia, Bernat e Sergio Rico e mais recentemente do técnico argentino Mauricio Pochettino e seus auxiliares.

Para continuar no PSG, Neymar quer ter a garantia de que a equipe vai continuar forte, brigando para conquistar a Liga dos Campeões nos próximos anos. O desejo dele é atuar novamente ao lado de Messi e ele já deixou isso claro para a diretoria, principalmente se Kylian Mbappé for para o Real Madrid, como já publicou a imprensa espanhola. O contrato do jovem atacante francês também vai até junho de 2022, ele ainda não renovou, e o clube estaria disposto a vendê-lo agora para não perdê-lo de graça ao final da próxima temporada.

Messi tem contrato com o Barcelona até junho deste ano, tinha demonstrado vontade de sair após desentendimentos com o ex-presidente Josep Maria Bartomeu, mas agora se reaproximou do clube com o retorno de Joan Laporta, que reassumiu a presidência. A situação do craque argentino de 33 anos, no entanto, está aberta. Como ele dificilmente vai definir seu futuro antes do fim desta temporada, Neymar tenta ter ao menos alguma garantia de um reforço de alto nível, no caso da saída de Mbappé e da não contratação de Messi. Por isso, os dirigentes do Paris Saint-Germain estão atentos ao mercado, enquanto tentam concretizar a permanência do brasileiro.

“Acho que Neymar vai estar no PSG no ano que vem e ainda vai ficar por muito tempo. Mbappé e Neymar não têm desculpas para sair. Nosso objetivo, e não escondemos desde o primeiro dia, é vencer a Liga dos Campeões. Investimos muito nesse clube para isso. Somos uma grande equipe hoje. Temos respeito pelos outros, mas estamos com eles", afirmou nesta terça o qatari Nasser Al-Khelaifi, presidente do PSG, ao canal francês “RMC Sport”.

No momento, é bem mais provável que Neymar realmente prolongue o seu vínculo e fique em Paris. O anúncio pode acontecer em breve. Porém, o sonho de jogar junto com Messi outra vez também faz com que a possibilidade de voltar ao Barcelona não seja descartada, apesar da complicada operação financeira. Vale lembrar uma frase do próprio Neymar em dezembro de 2020, em entrevista à “ESPN”, após vitória do PSG sobre o Manchester United, por 3 a 1, na Inglaterra, pela Champions.

“O que mais quero é desfrutar com ele (Messi) outra vez dentro do campo. Pode até colocar no meu lugar, não tem problema (risos). Quero voltar a jogar com ele, sim. Temos que fazer no próximo ano”, disse, na ocasião, o atacante brasileiro.