Em busca de uma sequência de vitórias no octógono, Felipe Cabocão vai subir de categoria no UFC

·4 min de leitura
Felipe Cabocão vai subir de categoria já em sua próxima luta pelo UFC (Foto: arquivo pessoal)


Ex-campeão do Jungle Fight, Felipe “Cabocão” Colares estava invicto no MMA quando foi contratado pelo UFC em 2019. Após perder em sua estreia, ele se recuperou na luta seguinte, mas voltou a oscilar e ainda está em busca de uma sequência de vitórias na organização. Por conta disso, o atleta da Team Nogueira decidiu subir de categoria e evitar o corte brusco de peso. Ele estava atuando na categoria peso-galo e a partir de agora estará na divisão dos penas. Em sua última luta, em outubro, ele foi superado por Chris Gutierrez na decisão dividida, em uma luta onde ele pretendia dedicar a vitória a sua mãe, que um mês antes havia vencido uma batalha contra o câncer. Após um ano turbulento em sua vida, ele preferiu adiar um pouco a volta ao UFC para passar um tempo maior com a sua família.

“Meu empresário queria colocar uma luta agora em janeiro, mas devido ao que a minha mãe passou esse ano, eu pedi mais um tempo para poder visitá-la agora no final de ano e passar Natal e Ano Novo ao lado da minha família. Devo voltar ao octógono no final de fevereiro ou inicio de março. Agora vou recomeçar tudo na categoria peso-pena. Eu tive um corte de peso muito grande na última luta de peso-galo e conversei com o meu time e decidimos subir de categoria. Na minha última luta eu também estava muito focado em dedicar a vitória a minha mãe, pois ela venceu o câncer. Sou muito grato a Deus por isso. Eu enfrentei um cara que só tinha perdido para o Raoni Barcelos no UFC e vinha de uma sequência de quatro vitórias na organização. Foi minha primeira luta no card principal, um turbilhão de sentimentos envolvidos na luta. Mas a minha maior vitória foi ver a cura dela. Claro que se eu tivesse vencido, certamente estaria bem ranqueado na categoria, mas essa derrota vai me fazer evoluir ainda mais”, disse Cabocão.

O amapaense já fez cinco lutas na organização, com duas vitórias e três derrotas. Ele agora tentará vida nova na divisão dos penas. Cabocão diz que vai em busca de uma sequência de vitórias para ter tranquilidade para continuar buscando seus objetivos no MMA.

“Sou o tipo de atleta que desde o começo da minha carreira fui acostumado com vitórias. Tanto é que eu cheguei ao UFC invicto e a minha primeira derrota foi justamente na minha estreia no UFC. Talvez eu me sinta pressionado para ter uma sequência de vitórias e mostrar para o UFC que eu sou aquele atleta que estava invicto, dava show e eles contrataram. Nenhuma luta minha tinha ido para a decisão até a luta pelo cinturão do Jungle Fight contra o Caio Gregorio. Depois disso eu não consegui mais encontrar o caminho das vitórias por nocaute ou finalização. Então, me sinto pressionado nesse sentido. Quero voltar a dar show e reencontrar o caminho das vitórias por nocaute ou finalização”.

Primeiro filho e parceira com agência de gestão de carreiras

Se dentro do octógono as coisas não vão bem nesse momento, fora dele Cabocão vive um momento de muita felicidade. Além de sua mãe ter vencido um câncer, sua esposa está grávido do seu primeiro filho e ele recentemente fechou uma parceira com a Team GOAT Management, empresa de agenciamento de carreira para atletas de MMA.

“A cura da minha mãe, a minha vitória sobre o Luke Sanders, um atleta expressivo que já tinha vencido o Renan Barão… Vivia um ótimo momento, mas a vitória contra o Chris Gutierrez não veio. Mas Deus colocou um novo momento na minha vida com a gravidez da minha esposa. É um momento muito feliz da minha vida, com certeza estou amadurecendo ainda mais e tenho certeza que serei um grande pai. E ainda fechei essa parceria com a Team GOAT, que está sendo muito importante, pois poucas academias no mundo dão um suporte como eles estão dando aos atletas. Acredito que para todos os atletas que fazem parte da agência, será uma parceria muito boa, que tem tudo para dar certo. A Team Nogueira já forma grandes campeões e agora com esse suporte a tendência é formar muito mais. Já temos dois atletas no UFC, eu e o Kleydson Rodrigues, a Juliana Velasquez que é a campeã do Bellator, o Renan Problema que está na PFL, entre outros. Com essa parceria seremos ainda mais vitoriosos”, concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos