Em busca de evolução! Com a Licença PRO, CBF Academy inicia sua série de cursos para treinadores em 2022

·4 min de leitura


A expectativa de ajudar profissionais do futebol a se aprimorarem profissionalmente passa pela Granja Comary. Nos primeiros dias de 2022, o local abriu espaço para as aulas de Licença PRO da CBF Academy. Entre seus alunos estão os técnicos Cuca, campeão da Copa do Brasil e do Brasileiro pelo Atlético-MG em 2021, Renato Gaúcho e Lisca, ambos sem clube, e Rogério Ceni, atualmente no comando do São Paulo.

Considerada "braço educacional" da entidade, a CBF Academy oferece cursos tanto para treinadores quanto para outros cargos do futebol nacional. O coordenador geral da CBF Academy, Michel Mattar exalta como a formação de profissionais vem aumentando.

- Desde 2016 mais de 10 mil alunos já foram formados e certificados por todos os nossos cursos (Escolas Técnica e de Gestão & Negócios) - disse ao LANCE!.

Mattar valorizou o quanto a CBF Academy vem lutando para oferecer bons ensinamentos.

- Os cursos da CBF Academy são reconhecidos internacionalmente e são referência em qualidade para outras escolas ao redor do mundo. Nosso conteúdo e professores são cuidadosamente pensados e escolhidos para oferecer a melhor formação aos nossos alunos - completou.

Em seguida, o coordenador disse que a Licença PRO será o primeiro passo de um 2022 com uma sucessão de cursos:

- A Licença PRO está abrindo o calendário 2022, que contará com mais de 60 cursos, considerando Escola de Gestão & Negócios (como Gestão de Futebol, Executivos de Futebol e Intermediários de Futebol) e Escola Técnica (como, por exemplo, na formação de técnicos através das Licenças PRO, A, B e C, além de análise de desempenho, preparação física e de goleiros e também direito esportivo).

O QUE OFERECE CADA LICENÇA

Ceni - CBF Academy
Ceni - CBF Academy

Rogério Ceni está na lista de alunos (Foto: Divulgação / CBF Academy)

O curso de Licença PRO já teve entre seus formandos o técnico Tite, que fez parte da turma de 2019. Três anos depois, Cuca, Rogério Ceni, Renato Gaúcho e Guto Ferreira tentam expandir seus caminhos no futebol. Ao todo, são 26 alunos.

- A Licença PRO permite que o treinador trabalhe fora do Brasil desde que atenda requisitos mínimos exigidos pelas confederações locais - disse o coordenador geral da CBF Academy, destacando os demais requisitos:

- Por exemplo, a Conmebol (América do Sul) exige a homologação da Licença. Já a UEFA, na Europa, exige Licença PRO mais cinco anos de experiência como treinador em competições de primeira divisão nacional. A AFC (Ásia) exige um procedimento burocrático de reconhecimento de competência do treinador - finalizou.

Além do curso Licença PRO, serão oferecidas outras categorias para treinadores: as Licenças A, B e C.

- A Licença A qualifica o profissional que atua ou deseja atuar no futebol, em equipes profissionais, na condição de treinador. Já a Licença B qualifica o profissional que atua ou deseja atuar no futebol, em equipes de categorias de base, na condição de treinador. Por fim, a Licença C é voltada para profissionais que atuam ou desejam atuar no futebol na condição de treinadores ou professores de escolas de futebol - enumerou Michel Mattar.

Cuca participa de curso de Licença PRO da CBF
Cuca participa de curso de Licença PRO da CBF

Cuca durante uma das aulas (Foto: CBF Academy)

O coordenador geral apontou o que a atual turma vem estudando.

- No caso da Licença PRO, realizada na Granja Comary, tivemos uma abordagem sobre a Eurocopa, como estudo de caso no primeiro dia de aula, onde os alunos produziram relatórios e reflexões. Ao longo da semana também tratamos de jogo posicional, fizemos análise de equipes internacionais (comportamento, padrão, diferentes ideias de treinadores), discutimos gestão de crises e realizamos sessões de treinos simulando confrontos com equipes que foram abordadas no primeiro dia de aula - disse.

Os alunos assistem a jogos e discutem aspectos das partidas. A aula de "jogo posicional" teve como professor Osmar Loss, que tem passagens como treinador da base de Internacional e Corinthians e também foi auxiliar-técnico de ambas as equipes.

Mattar ressaltou o que tem em comum o planejamento do curso para cada licença:

- Conectamos teoria e prática. E sempre procuramos variar os casos de estudo. Na última turma, por exemplo, em dezembro passado, estudamos a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro - disse.


Em meio à pandemia de Covid-19, a CBF Academy fez algumas adaptações. Aos olhos de Michel Mattar, os ajustes trouxeram algumas vantagens.

- A CBF Academy deu início à digitalização de seu conteúdo. Todos os cursos, que eram 100% presenciais, foram adaptados e transformados em 100% online (com exceção dos componentes práticos das Licenças, obrigatórios pela Conmebol para obtenção das mesmas). Essa transformação digital possibilitou ainda a criação de diversos novos cursos e a expansão da metodologia da CBF Academy para mais alunos ao redor do mundo - declarou.

O coordenador geral não esconde que sobram desafios.

- Importante reforçar que sempre estamos buscando evolução, desde a expansão da variedade de cursos, passando pela aceleração da digitalização, a oferta de cursos voltados para outros mercados (internacional) até a capacitação de nossos professores/instrutores, entre outras ações. Buscamos melhorar sempre a experiência total do aluno, desde o primeiro contato até a certificação - declarou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos