Em boa fase no futebol árabe, Bruno Lamas fala sobre novo desafio da carreira

Rodrigo Souza*
·2 minuto de leitura


O futebol asiático se tornou uma alternativa para muitos jogadores brasileiros que buscam espaço no esporte. Após passagem pelo futebol português, Bruno Lamas foi se aventurar nos Emirados Árabes Unidos. Em entrevista exclusiva ao LANCE!, o meia abriu o jogo e comentou sobre o novo desafio da carreira, a adaptação à nova cultura e ao novo clube, além dos planos para o futuro.

Com passagens pelas bases do São Paulo, Santos e Cruzeiro, Bruno Lamas rapidamente foi para a Europa, desembarcando em Portugal. O jogador, atualmente com 26 anos, defendeu os Leixões por quatro temporadas antes de acertar com o Santa Clara.

- Foi uma experiência muito boa. Tive que mudar para jogar ali. É um jogo mais intenso e tático. Foi um grande aprendizado. Fiz boas temporadas lá. O maior resultado foi ganhar muito mais intensidade do que quando estava no Brasil - analisou o meia, que guarda com carinho as lembranças no futebol português.

- Tenho muitas lembranças boas e agradeço por tudo que passei. Momentos bons e ruins no Leixões, onde aprendi muito e consegui evoluir. No Santa Clara que pude jogar na Primeira Liga e me destacar. Esse passo da segunda para primeira liga em Portugal foi uma das melhores lembranças, porque só quem passou por isso sabe como é difícil - ressaltou.

Após uma temporada no Santa Clara, Bruno Lamas acertou por empréstimo com o Khor Fakkan, dos Emirados Árabes Unidos, clube que conta também com o atacante Orlando Berrío, ex-Flamengo. Nos últimos cinco jogos, Bruno deu três assistências, mostrando que a adaptação, pelo menos dentro de campo, não tem sido um problema.

- É um clube muito bom e fui muito bem recebido por todos desde o primeiro dia. Joguei os primeiros cinco meses, mas parecia que eu já estava jogando há cinco anos. Estou muito feliz. A cultura é bem diferente e bem interessante. Respeito muito e acho muito bacana tudo que fazem aqui - contou Bruno, que não vê diferenças do futebol asiático para os demais.

- Eles também são muito apaixonados pelo futebol. Não tem muita diferença. Eles gostam das mesmas coisas: ganhar - completou.

Apesar de ter deixado o Brasil cedo para jogar na Europa e, agora, no futebol asiático, o meia não pensa ainda em retornar ao país. Bruno garante que está feliz no futebol árabe e, no momento, planeja seguir por lá, e que um retorno ao futebol brasileiro somente mais para o futuro.

- É claro que sonho em um dia voltar, mas só mais para frente. Talvez para terminar a carreira. Hoje não penso em sair do mundo árabe. Mas se voltar, tem muitos clubes que eu tenho vontade de jogar no Brasil - finalizou.

*Sob supervisão de Victor Mendes