Em ano eleitoral, Campello se isola no Vasco e perde dois personagens importantes

Luiza Sá
LANCE!
Alexandre Campello é o presidente do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)
Alexandre Campello é o presidente do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)


O 2020 do Vasco começou turbulento. Ainda com salários atrasados e dificuldades para negociações no mercado de transferências, o clima na política fica cada vez mais quente. Nesta sexta-feira, o presidente Alexandre Campello perdeu o vice-presidente de finanças, João Marcos Amorim, e pode ter a saída de outro nome importante: Adriano Mendes, VP de controladoria e um dos personagens mais importantes da atual gestão. O mandatário se vê em momento delicado logo na entrada de mais um ano eleitoral.

A primeira rachadura de Campello no Vasco foi ainda na campanha, quando rompeu com Julio Brant alegando ter sido deixado de lado após a vitória na eleição de novembro. No Conselho, o atual mandatário venceu. Depois, em maio de 2018, foi a vez da quebra com o grupo "Identidade Vasco", liderado por Roberto Monteiro, presidente do Conselho Deliberativo. Este que havia sido um dos principais aliados políticos que contribuíram bastante para a sua vitória no pleito da Colina.

Hoje, mesmo perdendo dois ativos importantes, pelo menos o grupo "Cruzada Vascaína", de João Marcos, garante que ainda apoia politicamente a gestão. Nos próximos meses, Campello deve tentar formar uma coalizão de forças pensando na eleição e em se estruturar ao longo do ano. Hoje, a diretoria tem algumas pastas vagas. São elas: vice-presidente do departamento de futebol, marketing, patrimônio, gestão estratégica, desportos de quadra e salão, além da de finanças e possivelmente da de controladoria.



Um dos fatores que mais pesou para as divergências foram os gastos já no segundo semestre de 2019 e o planejamento para 2020. De um lado, Alexandre Campello entende que o clube deve desembolsar mais para ter um time competitivo. Do outro, alguns vices querem continuar com o orçamento mais curto para manter a política de austeridade financeira.

Nesta semana, o advogado Luiz Mello foi até o clube para prestar consultoria em certas áreas. Ele, a pedido de Alexandre Campello, ajudará onde for necessário. A informação foi dada pelo "Atenção, Vascaínos" e confirmada pelo LANCE!.

Nos primeiros dias de 2020, a política vascaína já começa a esquentar para o que será ainda mais intenso durante o ano. Alexandre Campello pode aparecer como candidato à reeleição e o cenário do Vasco começa a se desenhar. O Cruz-Maltino, ao mesmo tempo, tenta resolver as pendências que já tem, especialmente com o elenco.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também