Após eliminação, mídia francesa faz duras críticas a Thiago Silva

A virada histórica realizada na última quarta-feira pelo Barcelona em cima do Paris Saint-Germain ainda está dando muito o que falar. Pelo lado francês, a mídia local tem sido extremamente crítica ao futebol apático apresentado por toda a equipe, principalmente da dupla de zaga brasileira, Marquinhos e Thiago Silva.

O jornal Le Figaro relembrou o choro de Thiago Silva nas oitavas de final, antes das disputas de penalidades contra o Chile na Copa do Mundo e o chamou de covarde. “Desde o ocorrido na Copa de 2014, o zagueiro conhecido como O Monstro tem sido chamado de medroso pelos críticos. Entenda como covarde. Que some nos jogos grandes”, escreveu o jornal.

Já o L`equipe foi ainda mais crítico em relação ao zagueiro brasileiro. Segundo o jornal, Thiago Silva não pode ser considerado um líder, além disso não estava em campo na primeira partida quando o time francês fez 4 a 0 no Barça e também rememorou o choro de 2014.

Leia mais: 

Thiago Silva admite má atuação do PSG: “Não fomos capazes de jogar”

Neymar põe fim a novela e afirma: “Messi vai renovar com o Barça”

O brasileiro e seu compatriota companheiro de zaga também foram alvos de críticas do jornal Goal. “Thiago Silva poderia ter sido lembrado como um dos maiores zagueiros de todos os tempos, se não fosse por uma coisa: sua fragilidade mental. Marquinhos, ao lado dele, foi o jogador mais vulnerável na noite dos caprichos de Lionel Messi, Luis Suárez e especialmente Neymar. No momento de fraqueza de seu parceiro, o experiente brasileiro deveria ter sido uma rocha para apoiar porque possuía a braçadeira, em vez disso, ele simplesmente demonstrou fraqueza”, argumentou o portal.

É valido lembrar que a mídia francesa já havia especulado que a ausência do brasileiro na primeira partida teria ocorrido porque o zagueiro “paralisou” diante do reencontro contra o adversário que já havia perdido em outras três oportunidades.