'Eles treinaram isso, não é possível', diz árbitro da partida do 'gol da água' de Ronaldinho

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
O lance envolvendo Rogério Ceni e Ronaldinho marcou aquela partida - Foto: Reprodução/Sportv
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Quase 9 anos após a partida entre Atlético Mineiro e São Paulo, pelas oitavas de final da Libertadores de 2013, o árbitro Marcelo de Lima Henrique ainda busca entender de que forma aconteceu o lance emblemático entre R10 e o ex-goleiro Rogério Ceni.

Uma simples reidratação durante um jogo de mata-mata marcou trajetória da conquista da primeira taça Libertadores do Atlético-MG.

Aos 13 minutos do primeiro tempo, Ronaldinho estava na área tricolor. Pediu um gole d’água ao goleiro Rogério Ceni. Assim que ele terminou de beber, Marcelo de Lima Henrique autorizou o recomeço do jogo. Marcos Rocha, então, cobrou o lateral para o astro atleticano, livre na área, sem impedimento. Gol de Jô.

Em entrevista ao Charla Podcast, Marcelo de Lima Henrique comentou a jogada. O profissional de arbitragem tinha nas mãos o poder de confirmar ou não o gol. E confirmou. Tudo dentro do permitido da regra.

- Foi legal (o gol) porque ele não saiu de campo, bebeu água que estava na mão do Ceni. Ele devolveu. E lateral não tem impedimento, ele estava no campo de jogo. Se ele tivesse saído do campo e voltado, seria tiro livre indireto contra ele, por entrar sem autorização, e cartão amarelo - detalhou o árbitro.

Além de ser uma jogada rápida, de muita inteligência, o lance contém um pouco da boa e velha malandragem brasileira. Marcelo de Lima Henrique conta que desconfia se a jogada não teria sido ensaiada pelos jogadores do Galo.

- O Ronaldo foi lá (pegar água). Quando teve o atendimento, vi que estava tudo ok e mandei jogar. Dei o "priii". Marcos Rocha estica o lateral lá na frente. Quando olho, o Ronaldo sozinho. Fazer o quê? Não posso fazer nada. E foi gol. O assistente confirma: "Marcelo, ele estava dentro de campo, tomando água". Ainda bem que eu não vi ele bebendo água, porque na minha mente poderia ter criado uma situação irregular e tirar um gol que foi legal. Imagino o Ceni depois... Deve ter ficado chateado. Mas não rolou reclamação, zero stress. Foi dentro da regra. Acho que eles treinaram isso, não é possível - revelou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos