Elenco de ‘Pantanal’ vai ficar na fazenda em que foi gravada primeira versão: equipe visita três cidades do MS no fim de semana

·2 minuto de leitura

O remake de “Pantanal” começa a ganhar cenários no próximo fim de semana. Uma equipe de produtores já está no Mato Grosso do Sul e aguarda a chegada dos diretores da novela, que terá Rogério Gomes, o Papinha, no comando. Eles irão visitar três cidades na região. Começando por Aquidauana, a 140 km da capital, Campo Grande.

Ainda no fim de semana, a comitiva vai também a Miranda, distante de Aquidauana uma hora, e na segunda-feira, 8, o destino será Corumbá, já no coração do Pantanal, a 223 km. Há cerca de um mês, o prefeito de Aquidauana, conhecida como o portal para o Pantanal, participou de uma reunião virtual com produtores da novela para acertar detalhes da logística das gravações, que começam já em abril.

Durante quatro meses toda a equipe técnica vai morar na região. De Campo Grande às locações da primeira fase, em que as paisagens foram exploradas intensamente por Jayme Monjardim na versão original, de 30 anos atrás, são oito horas de carro. Por isso, a equipe vai ficar concentrada em Aquidauana onde fica a Fazenda Rio Negro.

A propriedade é particular e hoje pertence ao empresário André Esteves, sócio do banco BTG Pactual, que adquiriu milhares de hectares no Pantanal, em 2011. O local é o mesmo que serviu de cenário para a sede da fazenda de José Leôncio, que na trama foi interpretado por Paulo Gorgulho e Cláudio Marzo. E mais tarde também para a novela “América”.

A fazenda fica às margens do Rio Negro, como o nome sugere, e tem uma imensa área de preservação ambiental. O único problema é que só comporta 80 pessoas e a produção terá que encontrar alojamentos próximos para concentrar elenco e equipe técnica sem interferir na logística de horários, já que por lá o sol nasce muito cedo e se põe na mesma velocidade.

Na época em que foi gravada “Pantanal”, em 1990, os atores ficavam praticamente isolados do mundo enquanto estavam na fazenda. Aos fins de semana, eram levados de bimotor até Campo Grande e de lá voltavam para o Rio de Janeiro. O que ocorreu durante os 11 meses em que foi exibida na extinta Rede Manchete.