Elenco faz homenagens e familiares são barrados neste sábado no Ninho

Grupo do Flamengo fez um minuto de silêncio no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Grupo do Flamengo fez um minuto de silêncio no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)


Um ano após a maior tragédia da história do Flamengo, a manhã deste sábado, no Ninho do Urubu, foi marcada por duas situações: enquanto o elenco e a comissão técnica se reuniram para um minuto de silêncio dentro das instalações do clube, alguns familiares das dez vítimas fatais do incêndio ficaram do lado de fora do CT. Apenas os parentes de Pablo Henrique, que tinham autorização prévia, tiveram acesso às dependências do clube.

Além da família de Pablo, os parentes de Christian Esmério e Jorge Eduardo também estiveram no local, mas não puderam entrar no Ninho. Funcionários do Flamengo informaram que não havia um pedido prévio, o que gerou um desconforto em quem se deslocou até o CT. Do lado externo, os familiares das vítimas do incêndio fizeram uma oração e acenderam velas.

- Se eu pudesse, eu nem colocava meus pés aqui. Eu vim acender uma vela para o Jorge e parece que estou aqui para aparecer. É humilhante - desabafou Simone, tia de Jorge Eduardo, em entrevista concedida ao 'UOL'.

A família de Pablo Henrique - que teve acesso ao Ninho por conta de uma autorização prévia - também não saiu satisfeita do local.

- Ter autorização para fazer uma oração é muito humilhante - afirmou Wedson Cândido, pai de Pablo, em declaração também ao 'UOL'.

Homenagens no Maracanã
O Flamengo entrará em campo neste sábado, às 18h, diante do Madureira, no Maracanã, em duelo válido pela Taça Guanabara. O clube e a torcida preparam homenagens às vítimas do Ninho do Urubu.

Os torcedores vão se concentrar atrás do gol do setor Norte. Por lá, serão 20 mil balões brancos agitados e estourados - de acordo com membros de torcidas organizadas, que receberam mensagens da diretoria do Flamengo, nesta semana.

Haverá silêncio até os dez minutos de jogo. Em seguida, o nome dos dez jovens mortos - Arthur Vinicius, Athila Paixão, Bernardo Pisetta, Christian Esmério, Gedson Santos, Jorge Eduardo, Pablo Henrique, Rykelmo de Souza Viana, Samuel Thomas e Vitor Isaías - serão cantados.

Quanto ao time, ações serão similares a do Fla-Flu realizado dias depois do incêndio, pelo Carioca de 2019. Em seus uniformes, jogadores do Flamengo terão o nome dos garotos estampados. Já o do Diego, capitão da equipe, contará com a frase "Meninos do Ninho". Em tempo: os atletas, inclusive convidados da base, terão faixa de luto com a hashtag #nossos10.

















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também