Elenco do Flamengo faz força por festa da Libertadores

Por causa das eleições presidenciais, festa do Flamengo foi particular, sem a presença de torcedores.
Por causa das eleições presidenciais, festa do Flamengo foi particular, sem a presença de torcedores. Foto: (Franklin Jacome/Getty Images)

Tendo respeitado o acordo firmado pelo presidente do Flamengo, Rodolfo Landim com o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, que nenhum evento de comemoração pelo título da Copa Libertadores da América fosse realizado no último domingo, quando, também, foi realizado o segundo turno das eleições presidenciais, o elenco do clube do Ninho do Urubu passou a reforçar a campanha feita pelos torcedores e pedindo uma festa pública para a comemoração do tricampeonato, puxando a hashtag #FestaNaPresidenteVargas.

Autor do gol do título contra o Athletico Paranaense, assim como aconteceu no ano de 2019, contra o River Plate, Gabigol puxou a fila que foi seguida por seus companheiros Pedro, Arrascaeta, Everton Ribeiro, Vidal, Thiago Maia, Bruno Henrique, Filipe Luís, Diego Alves, Diego, Ayrton Lucas e Rodrigo Caio.

Leia também:

Quem fez coro ao pedido dos jogadores, permitindo a festa, mas condicionando a uma autorização da CET Rio, foi o sempre bem-humorado prefeito Eduardo Paes: "Resolvido @pedropaulo e @gabigol! Só não poderei participar. Tô ligado em Itú! Em tempo: só vamos dar uma consultada na CET Rio para definir a melhor forma, local e data! Parabéns pelo título!".

No ano de 2019, quando o Flamengo conquistou o bicampeonato da Libertadores contra o River Plate, o Centro do Rio foi tomado por torcedores que recepcionaram o elenco vencedor. À época, carros de som foram usados na celebração que se iniciou na Avenida Presidente Vargas. Por cerca de quatro horas, os jogadores desfilaram junto de seus torcedores, mas a polícia, já no fim do evento, buscou uma forma de dispersar a grande aglomeração que havia sido feita e estourou bombas de gás lacrimogêneo na direção dos torcedores do clube rubro-negro.