Eleições 2020: entenda o motivo da demora na apuração dos votos pelo TSE

Redação Notícias
·4 minuto de leitura

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, se pronunciou na noite deste domingo (15) a respeito do atraso na apuração dos votos das eleições muncipais pelo país. Barroso afirmou que uma falha em processadores do “supercomputador” provocou a lentidão na totalização dos votos, mas que 50% já haviam sido totalizados até as 21h.

“Houve um atraso na totalização dos resultados por força de um problema técnico que foi exatamente o seguinte: um dos núcleos de processadores do supercomputador que processa a totalização falhou e foi preciso repará-lo”, disse o ministro durante entrevista coletiva no TSE, em Brasília.

O presidente do TSE, no entanto, foi taxativo ao dizer que “não faz nenhum sentido” imaginar que isso possa “trazer algum tipo de consequência para o resultado” e afastou possibilidades de fraude e manipulação de votos.

“A ideia de que a demora possa trazer algum tipo de consequência para o resultado não faz nenhum sentido, porque o resultado das eleições já saiu no momento em que a urna imprimiu o boletim da urna. Esse boletim é impresso em diversas vias, uma delas é afixada do lado de fora da seção eleitoral e esse material é distribuído aos partidos”, explicou.

“Eu lamento que tenha acontecido... foi um pequeno acidente de percurso, sem nenhuma vítima, salvo um atraso na divulgação final do resultado, um atraso que, eu espero, que seja só de algumas horas”, acrescentou um pouco depois.

Mais cedo, em nota, o TSE anunciou o problema na totalização, e negou que ela tenha relação com a tentativa de ataque cibernético que Barroso disse ter sido frustrado.

“Em razão de uma lentidão no processo de totalização dos votos (soma dos votos), está ocorrendo um atraso para a divulgação dos resultados da apuração”, afirmou o TSE em nota à imprensa.

A apuração em São Paulo, por exemplo, estava em apenas 0,39% das seções eleitorais apuradas após quatro hora e meia após o fechamento das urnas. Em Belo Horizonte em 12,01% e no Rio de Janeiro 30,11%.

Mais cedo, Barroso disse que o TSE frustrou a tentativa de um ataque hacker e negou que ela pudesse atrapalhar a apuração, lembrando que as urnas eletrônicas não ficam online.

Vitória / ES / Brazil - April 9, 2019: electronic ballot boxes that will be used throughout the country in the municipal elections of 2020.
A falha em processadores do “supercomputador” provocou a lentidão na totalização dos votos, segundo Barroso. (Foto: Getty Images)

Segundo ele, um dos procedimentos de segurança adotados para neutralizar a tentativa de ataque foi o desligamento de um dos principais servidores, além de um backup das informações mais importantes, retiradas de rede, como garantia para o caso de ataque bem-sucedido. [nL1N2I10IH]

Na nota da noite deste domingo, o TSE negou que a tentativa de ataque tenha relação com a lentidão na totalização dos votos.

"O problema está sendo resolvido pelos técnicos, para a retomada mais célere do processo de divulgação. Ressaltamos que não há nenhuma relação com o vazamento de dados pessoais de servidores e nenhuma relação com a tentativa de ataque cibernético registrada pela manhã", afirmou o tribunal.

Na entrevista coletiva, Barroso também voltou a comentar o vazamento recente de dados do TSE e afirmou que eram dados "irrelevantes" e antigos. Disse ainda que a Polícia Federal está investigando o caso.

"Nós agora estamos em torno de 50% dos votos já totalizados, portanto com a expectativa de que mais à frente um pouco nós possamos ter a definição", disse Barroso.

Eleições municipais em todo país

As Eleições 2020 moveram praticamente todo país neste domingo. Por conta do coronavírus, essa foi uma eleição diferente, com horários estendidos e mais critérios de segurança sanitária.

Uma questão que levanta muitas dúvidas ao longo processo é o famoso coeficiente eleitoral. Bem resumidamente, é a divisão do número de eleitores pelo número de vagas (nós explicamos com detalhes AQUI). Cada cidade, então, tem seu coeficiente eleitoral.

Caso não esteja presente na cidade onde você está apto para votar, é possível justificar seu voto. Para saber como, siga nosso guia clicando AQUI.

O que faz um prefeito?

O Estado se divide em três poderes o Executivo, Legislativo e Judiciário, e o prefeito é o chefe do Poder Executivo. Ou seja, é responsabilidade do prefeito administrar a cidade que exerce suas funções. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um prefeito, CLIQUE AQUI.

O que faz um vereador?

Eleito por votos da população, o vereador que é um agente político, trabalha no Poder Legislativo da esfera municipal da federação brasileira. Lembrando que o Brasil é dividido em três grupos de poder: União, Estados e Municípios. Pode-se dizer que o vereador exerce um papel similar ao dos deputados e senadores fazem nas esferas Estados e União. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um vereador, CLIQUE AQUI.

com informações da Reuters