Eleição no Corinthians: Vices de Augusto Melo falam ao LANCE!: 'Necessidade de mudança'

Alexandre Guariglia
·3 minuto de leitura


No próximo dia 28, o Corinthians terá sua eleição para presidente do clube e, para aquecer a disputa, o LANCE! traz uma série de entrevistas com os envolvidos no pleito. Nesta semana, as conversas serão com os candidatos a vice-presidente das três chapas concorrentes. Como o critério adotado para a publicação é por ordem alfabética, a primeira entrevista será com os vices de Augusto Melo, da chapa "Corinthians Mais Forte": José Antonio Avenia Neri (1º vice-presidente) e Ricardo Maritan (2º vice-presidente). Confira abaixo:

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

José Antonio Avenida Neri (1º vice-presidente) - Membro do Conselho de Orientação do Clube (Cori)

Qual é a sua relação com Augusto Melo?
​Conheço o Augusto Melo do próprio clube, pois sempre fomos assíduos frequentadores. Nos tornamos mais unidos quando ele entregou seu cargo nas categorias de base, que de certa forma, foi como havia ocorrido comigo tempos atrás. Nossa relação se prolongou também, dentro do próprio Conselho Deliberativo do clube.

De que forma essa parceria foi fechada? Como esse "trio" se uniu?
A parceria foi concretizada a partir do momento em que Augusto se lançou candidato, há mais de um ano. Entendi que era o momento de mudanças, com uma oposição a atual gestão, desgastada pelo próprio tempo.
Quanto ao Ricardo Maritan, meu convívio com ele foi debatendo ideias modernas e profissionais que deveriam ser implementadas no clube. Nossa parceria foi fechada quando Ricardo abriu mão de sua candidatura, para unir-se a Chapa Corinthians Mais Forte, e formamos o trio.

Qual é a principal ideia em comum desse grupo? Qual a proposta para o mandato que mais une vocês?
​A implementação e criação do departamento de compliance*, a valorização do marketing na marca Corinthians, modernização do clube social e a ascensão do Corinthians entre os maiores times de futebol do mundo.

*De modo geral, o departamento de compliance buscaria agir conforme leis determinadas pelos órgãos regulamentadores, prevenindo tudo aquilo que possa trazer conflitos judiciais e prejuízos financeiros ao clube.

Ricardo Maritan (2º vice-presidente) - Dois mandatos no Conselho (2012 e 2015)

Qual é a sua relação com Augusto Melo?
Eu e Augusto nos conhecemos há muitos anos. Fomos eleitos conselheiros em 2012 e 2015 no “Chapão” e somos frequentadores assíduos do Parque São Jorge. Temos muitos amigos em comum, a paixão pelo Corinthians como norte e motivação para mudança que o atual cenário requer.

De que forma essa parceria foi fechada? Como esse "trio" se uniu?
Durante o processo eleitoral e de pré-inscrições das candidaturas, conversamos sobre a necessidade da união das chapas de oposição, como única forma viável de alternância de poder. Diante desse cenário, decidi não me inscrever ao pleito, retirando minha pré-candidatura à presidência. Decisão tomada justamente para não dividir os votos de oposição. Augusto, privilegiando as mulheres, inscreveu a Desembargadora Dra. Maria Tereza do Amaral como uma de suas vices. Infelizmente, por problemas estatutários, a doutora teve de ser substituída. A partir disso, surgiu o convite para compor a chapa. Até mesmo para prestigiar o fato de eu ter aberto mão da candidatura e fortalecer a oposição.

Qual é a principal ideia em comum desse grupo? Qual a proposta para o mandato que mais une vocês?
Prestigiar as mulheres, com a proposta de alteração Estatutária, para que elas tenham o direito de votar e serem votadas, tendo em vista que, pelas regras atuais, apenas os sócios titulares dos planos familiares têm esse direito (90% deles são homens). Democratizar o clube e equilibrar o colégio eleitoral com a maior participação feminina. Na chapa que coordeno (Resgata Corinthians), temos quatro mulheres candidatas. O clube saíra fortalecido com uma maior participação feminina.