Egípcio é banido do tênis por manipulação de resultados, assim como seu irmão

AFP
Youssef Hossam foi banido do tênis pelo resto da vida
Youssef Hossam foi banido do tênis pelo resto da vida

O tenista egípcio Youssef Hossam foi banido por toda a vida do circuito profissional por manipulação de resultados, dois anos depois de seu irmão Karim ter recebido a mesma sanção por fatos semelhantes.

Em um comunicado, a Unidade de Integridade do Tênis (ITU) informou que Youssef Hossam, de 21 anos, que atualmente ocupa o 810º lugar no ranking da ATP, foi condenado à prisão perpétua após ser considerado culpado de manipular vários resultados e acusações de corrupção.

Entre 2015 e 2019, Houssam "conspirou com outras partes para realizar uma extensa campanha de corrupção relacionada ao jogo nas categorias mais baixas do tênis profissional".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Nesse período, verificou-se que o jovem tenista, que tinha o melhor ranking mundial de 291 em dezembro de 2017, esteve envolvido em 21 casos em que o programa anticorrupção foi violado: oito por manipulação de resultados, seis por facilitar apostas, dois por pedir que aos rivais que não se esforçassem ao máximo, três por não informar sobre supostas tentativas de manipulação e dois por não cooperar com as investigações da UIT.

A sentença para o resto da vida também foi a punição que seu irmão Karim Hossam recebeu em 2018, quando ele foi declarado culpado de 16 acusações de corrupção, incluindo o fornecimento de informações para sites de aposta.

Longe dos holofotes e dos milhões que são faturados por astros como Roger Federer e Serena Williams, as entidades do tênis estão preocupadas com jogadores de nível inferior, vulneráveis à corrupção por não conseguirem ganhar a vida com os escassos prêmios que recebem dos torneios dos quais participam.

Leia também