Egídio quer provar o valor em campo e entrega: 'Fred quer muito voltar'

Joel Silva
LANCE!
Egídio foi apresentado ao laod de Yago (Foto: Divulgação/Fluminense)
Egídio foi apresentado ao laod de Yago (Foto: Divulgação/Fluminense)


O lateral-esquerdo Egídio está de volta ao futebol carioca. O jogador de 33 anos, cria do Flamengo, foi apresentado oficialmente como reforço do Fluminense e vestiu a camisa tricolor de número 6. Nas primeiras palavras, o atleta fez questão de minimizar qualquer tipo de críticas quanto a sua chegada.

- Melhor prova que eu posso dar é dentro de campo. No Cruzeiro o ano foi trágico, mas lá foram seis títulos. O rebaixamento é ruim para o atleta, mas os títulos ficam cravados na história. Estou feliz, Fluminense é time grande e vou dar uma boa resposta com essa camisa.

A última passagem pelo Cruzeiro, nos anos de 2018 e 2019, Egídio fez uma grande amizade com o atacante Fred, grande ídolo do Fluminense. O lateral-esquerdo não escondeu a vontade de ter o amigo ao lado novamente e entregou que o jogador está por detalhes para retornar ao Tricolor.

- Fred tem história aqui, deixou um legado e tem um poder de liderança grandioso. Falo com ele todos os dias e eu só digo coisas boas. Ele tem muita vontade e disse que faltam detalhes para resolver e quer muito voltar. O Fred ama os funcionários e ama o clube A gente espera que dê tudo certo para ele voltar. Fico na torcida.

Egídio revelou a sua frustração de não poder estrear na próxima quinta-feira, diante da Portuguesa da Ilha, no Maracanã. O lateral-esquerdo foi inscrito na sexta-feira, um dia útil apenas para o começo da rodada, que começou nesta terça-feira. O regulamento prevê dois dias e segunda-feira foi feriado.

- Me pegou de surpresa essa história de não jogar. Daria tempo normalmente e eu estava me preparando para isso. Continuo a preparação.

BATE-BOLA COM EGÍDIO

Para vir para o Fluminense, chegou a conversar com o Fred?
- As conversas foram nas minhas férias e procurei saber, com o Fred e Digão. Então não pensei duas vezes para vir para cá. Não tive dúvidas, foi o Fluminense. O Fred ama o Fluminense e tomara que ele volte para cá.

Você é um dos mais experientes do elenco. Como é trabalhar com tanta garotada?
A mescla é muito importante com a garotada. Odair está fazendo um excelente trabalho fazendo o que ele quer.

O Odair pede muita intensidade na defesa e você costuma se destacar no ataque. Como está sendo se adaptar a essa filosofia?

- Em 2018 quando eu voltei para o Cruzeiro, muitos falavam e eu provei dentro de campo. Fiz 9 assistências sempre com bola rolando. Na minha carreira tenho títulos e assistências. Vou marcar primeiro para depois atacar. Essa vai ser a minha linha de pensamento.

A lateral-esquerda é uma posição que exige muito vigor físico. Você se sente preparado para uma temporada que promete ser bastante desgastante?
- Os números não mentem. Tenho 33 anos e no Cruzeiro, a média era de 31 anos, e com 10 anos à mais que o Orejuela, estava próximo dele. Cuido do meu corpo para ter gás. Hoje em dia não tem mais essa de idade. Pega o Nenê, o que ele corre. Idade não faz diferença no futebol.

Qual é a sua meta nessa passagem pelo Fluminense?

- História no futebol se tem com títulos. Eu vejo no Fluminense, tantas vezes campeão, e temos jogadores com gana de títulos. Passamos a experiência para os mais novos e fico lisonjeado com as conquistas na carreira. Meu foco é sempre nos títulos.

Como foi a recepção ao elenco do Fluminense?

- Cheguei aqui e me receberam super bem. Um elenco muito acolhedor, desde os funcionários até a comissão técnica, com carinho e respeito. Essa energia positiva contagia a gente. Estou vendo o brilho no olhar de cada um e isso passa confiança.

O vídeo de apresentação foi um verdadeiro sucesso. Quem deu a ideia de brincar com o Justin Bieber?

- Cheguei aqui e eles deram essa ideia. Estava sem mexer nas redes sociais e eu falei até com a minha esposa, que estava tão bom. Vou ter que pegar o vídeo e tive que jogar nas redes sociais. Quase dois milhões de visualizações. Mas eu não sou muito ligado.

Como você encara o retorno ao Rio de Janeiro?

- Eu fiquei muito feliz de vir para o Fluminense, time de muitos dos meus familiares. Voltar para o Rio, ficar perto da minha família é muito bom. Minha esposa é de Minas e agora ela vai ficar perto da minha. Só positividade.































Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também