'Efeito torcida' não pode iludir, mas impulsiona o Vasco a entrar de vez na briga pelo acesso à Série A

·1 minuto de leitura


Fazia tempo que o Vasco não arrancava sorrisos verdadeiros de seu torcedor. Fazia tempo também que este mesmo torcedor não podia apoiar o time como sempre fez. Não é coincidência. Mais do que a vitória, a atuação do Cruz-Maltino contra o Goiás mostrou que o apoio da arquibancada pode ser o elemento que faltava para fazer o time conquistar o ainda difícil acesso.

O time hoje comandado por Fernando Diniz não era um mau mandante nesta Série B do Campeonato Brasileiro. Mas desempenho como o que se viu em São Januário, na noite da última segunda-feira, talvez só contra o Guarani (4 x 1) ou contra o CRB (3 x 0). Talvez. O volume criado e a consistência defensiva foram notórios.

E o treinador ainda ganhou variações táticas ao deslocar Marquinhos Gabriel para a ponta e montar o meio-campo com dois volantes de origem, mesmo que no mesmo desenho 4-1-4-1. E o time ainda teve a sorte a seu favor: se aquele cabeceio de Apodi vai um pouco mais baixo... mas sorte faz parte. Para subir, também ela será necessária.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Mas que ninguém se iluda. Aliás, o treinador já chegou na entrevista coletiva pós-vitória freando a possível empolgação externa. Além de a montanha seguir alta, o gargalo maior do Vasco não vinha sendo os jogos em casa, onde poderá ter mais apoio, agora com público. Como visitante é que o time tem pontuação das piores da Série B.

E sobre a torcida: o apoio chegou a emocionar um futebol brasileiro de um ano e meio quase sempre frio na arquibancada. Mas a aglomeração de três mil pessoas certamente não será ignorada pelas autoridades. A ver as consequências.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos