Eduardo Paes quer que Rio de Janeiro seja "Capital dos esports"

Prefeito do Rio, Eduardo Paes retrucou a fala de Ana Moser, ministra dos Esportes, que afirmou que a modalidade digital não é esporte.
Prefeito do Rio, Eduardo Paes retrucou a fala de Ana Moser, ministra dos Esportes, que afirmou que a modalidade digital não é esporte. Foto: (Wagner Meier/Getty Images)

Depois da polêmica fala da ministra Ana Moser, que não considerou os esports como esportes de fato, o prefeito Eduardo Paes, do Rio de Janeiro, utilizou seu perfil oficial no Twitter para dizer que quer tornar a Cidade Maravilhosa como a capital da modalidade, a reconhecendo como importante em diversos aspectos.

Na publicação, feita no começo da tarde desta quinta-feira, Paes disse que: "Rio, capital dos esports! O Rio reconhece o esports como uma importante modalidade de esporte e que traz consigo os princípios mais importantes da prática esportiva como disciplina, foco, inclusão social e competição. Hoje fizemos uma reunião com diversas atores ligados a essa prática esportiva e estamos criando uma coordenadoria específica para esse tema diretamente ligada ao gabinete do prefeito. Vamos fazer do Rio a Capital Mundial do do E-Sports".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia também:

Uma reunião foi feita com alguns personagens influentes no meio digital para que a integração com os políticos fosse completa. Participaram a apresentadora Nyvi Estephan; o narrador Tácio "Schaeppi"; o cofundador da FURIA André Akkari; a dona da Black Dragons, Nicolle "Cherrygumms"; o dirigente da Miners Marcelo Fadul; o CEO da Player1, Leandro Valentim; e os jornalistas Barbara Gutierrez e Chandy Teixeira.

No ano passado, o Rio de Janeiro recebeu o Major, Mundial de Counter Strike: Global Offensive, em novembro, evento que mobilizou dezenas de milhares de pessoas envolvidas, entre torcedores, competidores e jornalistas, de todo o mundo, que vieram ao Brasil para realizar a cobertura do evento.

Ministra Ana Moser diz que esports não são esportes

Responsável pelo Ministério do Esporte no Governo Lula, a Ministra Ana Moser afirmou em entrevista publicada na última terça-feira que os esportes eletrônicos não são esportes e não terão investimento pela pasta que ela gere.

Em entrevista concedida ao UOL Esporte, a Ministra disse que a categoria se enquadra mais como entretenimento do que esporte e também afirmou sua força no ano passado para que não fosse aceito na Lei Geral do Esporte: "A meu ver, o esporte eletrônico é uma indústria de entretenimento, não é esporte. Então, você se diverte jogando videogame, você se divertiu. "Ah, mas o pessoal treina para fazer". Treina, assim como o artista. Eu falei esses dias, assim como a Ivete Sangalo também treina para dar show e ela não é atleta da música. Ela é simplesmente uma artista que trabalha com entretenimento. O jogo eletrônico não é imprevisível. Ele é desenhado por uma programação digital, cibernética. É uma programação, ela é fechada, ela não é aberta, como o esporte. A questão do esporte eletrônico a nível federal ainda não é uma realidade. Não tenho essa intenção [de investir nisso]. No meu entendimento, não é esporte. A gente lutou, no ano passado, eu na minha vida pregressa, a frente da Atletas pelo Brasil, a gente fez uma ação muito forte junto ao Legislativo para o texto da Lei Geral [do esporte] não ser aberto o suficiente para poder ter o encaixe dos esportes eletrônicos. O texto está lá protegendo o esporte raiz. Na definição de esporte, tinha sido dado uma abertura que poderia incluir esporte eletrônico, e a gente fechou essa definição para não correr esse risco. Lógico, risco sempre acontece, e é um trabalho constante".