Eduardo Baptista admite jogo ruim do Palmeiras e lamenta resultado, mas critica gramado e foca em classificação

A atuação do Palmeiras na derrota por 3 a 2 para o Jorge Wilstermann, na Bolívia, nesta quarta-feira (3), pela Libertadores, não foi boa e custou ao time a vaga antecipada como líder do grupo 5 nas oitavas de final da competição. O técnico Eduardo Baptista admitiu o desempenho ruim de sua equipe na última noite, mas também não deixou de criticar o gramado do Estádio Félix Capriles.

"Se teve algo que atrapalhou foi o campo. O Palmeiras joga com a bola no chão. Perdemos muito a bola e demos contra-ataques. Mas também não fizemos um bom jogo. Vacilamos em cinco minutos e tomamos dois gols. Tentamos recuperar com substituições. Deixamos o time mais rápido, demos mais intensidade, mas não foi suficiente para buscar o resultado que queríamos", afirmou o treinador.

"Tentamos jogar, até tomar os gols estávamos bem. No segundo tempo, procuramos alçar mais a bola, porque no chão não estávamos conseguindo. Foi mais mérito do Wilstermann por conhecer o campo, a atmosfera. Nós tomamos dois gols em que erramos o tempo de bola, um com o Jean na bola aérea, erramos o cálculo de onde tínhamos de cabecear essa bola. E o Wilstermann conhece bem aqui e tirou vantagem disso", completou.

Willian Bigode Alex Silva Jorge Wilstermann Palmeiras Libertadores 03052017

(Foto: Getty Images)

"Viemos a Cochabamba para buscar a classificação. Vitória ou empate. Somos líderes ainda, mas não era o resultado que queríamos. Temos outro jogo em casa. Vamos buscar a vitória para confirmar a classificação e tentar o máximo de pontos para acabar bem na classificação geral", concluiu.

O Palmeiras, mesmo com a derrota, segue na liderança do grupo 5 da Libertadores, com 10 pontos, mas agora tem apenas um a mais que o time boliviano e três que o Atlético Tucumán, adversário na última rodada, no dia 24 de maio, no Allianz Parque. O Verdão precisa vencer os argentinos em casa para garantir o avanço no primeiro lugar da chave.