Eduardo aponta falhas, reclama do gramado e lamenta derrota

O Palmeiras foi apático nesta quarta-feira pela Copa Libertadores, foi derrotado por 3 a 2 pelo Jorge Wilstermann e perdeu sua invencibilidade no torneio. Para o técnico Eduardo Baptista, o revés foi ocasionado por falhas individuais provocadas pela altitude boliviana, além do gramado seco do estádio Félix Caprilles.

“Tentamos jogar e estávamos bem na partida até tomar os gols. O Palmeiras tenta jogar com a bola no chão, mas no segundo tempo procuramos alçar mais a bola, porque não estávamos conseguindo no gramado. Foi mais mérito do Wilstermann por conhecer o campo, a atmosfera. Nós tomamos dois gols em que erramos o tempo de bola, um com Jean.  Erramos o cálculo de onde tínhamos de cabecear essa bola e o Wilstermann conhece bem aqui e tirou vantagem disso”, disse o treinador.

Para o segundo tempo, perdendo por 2 a 1, o Palmeiras voltou do intervalo com Miguel Borja no lugar do apagado Willian, mas o colombiano também não conseguiu produzir no Verdão. Buscando o empate, Eduardo Baptista sacou Thiago Santos, recuou Tchê Tchê para primeiro volante e colocou Keno em campo.

As mudanças, no entanto, não surtiram efeito e, logo em seguida à alteração, Jean falhou em bola aérea, Saucedo dominou em suas costas e foi derrubado por Fernando Prass. Na cobrança, Cardozo converteu. Além da altitude, Eduardo falou sobre a dificuldade no gramado da Bolívia.

“O time do Palmeiras é muito técnico. Quando tentamos jogar, fomos muito atrapalhados pelo campo. Se teve algo que atrapalhou foi o gramado. Perdemos muito a bola e demos muitos contra-ataques. Mas também não fizemos um bom jogo. Vacilamos em cinco minutos e tomamos dois gols. Tentamos recuperar com substituições, deixamos o time mais rápido, demos mais intensidade, mas não o suficiente para buscar o resultado que queríamos”, completou o treinador.

Leia mais:

Michel Bastos admite má atuação do Verdão, mas mira classificação em casa

Com o resultado, o Palmeiras segue na liderança do Grupo 5 da Copa Libertadores com 10 pontos ganhos, um a mais que o Wilstermann. Na última rodada, o Verdão recebe o Atlético Tucumán, que tem sete pontos, dia 24 de maio, no Estádio Palestra Itália. Já os bolivianos encaram o já eliminado Peñarol. Um resultado positivo na Arena garante a primeira posição, e um empate classifica o Verdão, mas não com a liderança assegurada.

“Vamos buscar a vitória. Temos outro jogo em casa e vamos buscar o triunfo para avançar e tentar o máximo de pontos para acabar bem na classificação geral”, finalizou.