Edu relembra ausência em 2006 ao saber sobre vaga na Copa do Mundo

O diretor de seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Edu Gaspar, atendia pacientemente a imprensa na zona mista do estádio de Itaquera, já na madrugada da quarta-feira, quando foi informado que o Uruguai havia perdido por 2 a 1 para o Peru e o Brasil, matematicamente, estava classificado para a Copa do Mundo. Foi a senha para que o tom sério desse lugar a um largo sorriso.

“Nossa, cara, é sério?”, indagou o dirigente, soltando uma expressão de felicidade ao receber a confirmação. “Pô, é um negócio muito legal a gente conseguir isso, estou aqui no estádio do Corinthians, lugar onde eu me criei como homem… faltando tanto tempo ainda de disputa. Assumimos com essa missão inicial e conseguimos antes até do que a gente planejava. É algo que me deixa muito feliz, muito feliz mesmo”. comentou o ex-corintiano.

De acordo com Edu, a sua presença como um dos dirigentes responsáveis pela Seleção na Copa da Rússia, em 2018, servirá para apagar uma das suas frustrações da época em que era jogador de futebol. Membro atuante na preparação para o Mundial da Alemanha, em 2006, tanto que participou da conquista da Copa América, em 2004, e da Copa das Confederações, em 2005, ele não esteve no grupo que disputou aquela Copa.

“Tive uma lesão que me tirou de toda a temporada, não consegui ir para aquela Copa. Foi algo que me deixou muito triste porque eu tinha participado de tudo em 2004, 2005”, relatou, lembrando do rompimento nos ligamentos do joelho esquerdo e, recordando ainda como conseguiu se livrar da tristeza por não ter chegado ao ponto mais alto da disputa entre seleções.

“Eu não fui para aquela Copa, mas eu sabia que, de alguma forma, eu ia acabar participando de outra. Não conseguia dizer como nem por que, mas eu sabia que, no futuro, estava reservado para mim uma participação pelo meu país na Copa do Mundo. E eu recebi essa confirmação na casa do clube que me criou. Fico muito feliz”, assegurou.

Pego um pouco de surpresa com a confirmação da vaga, Edu não quis se alongar muito sobre como será a preparação para ir à Rússia e só avisou que viajará ao país europeu no domingo para ver de perto algumas questões. “Precisamos ver a melhor logística, ver se vamos precisar de um investimento em infra-estrutura. Avaliar todas essas coisas para que a gente dê a melhor condição aos atletas. Queremos um lugar e uma cidade que deem condição de vivência aos jogadores e aos familiares”, concluiu o dirigente.