Edmundo chora em entrevista ao falar do irmão assassinado: 'Quero poder abraçá-lo de novo'

·1 min de leitura

Edmundo não segurou a emoção e foi às lágrimas ao lembrar do irmão, Luís Carlos Alves de Souza, que morreu assassinado em 2002. O ex-jogador contou que não pôde estar presente ao enterro e espera, um dia, poder encontrá-lo novamente e abraçá-lo mais uma vez. 

"Já passei pela Igreja evangélica, pela Católica, pela Umbanda e me encontrei no Kardecismo. Minha dúvida é se vou ver meu irmão de novo, quero poder abraçá-lo mais uma vez. Não pude estar no enterro. Foi em 2002 e eu estava no Japão. Ele se envolveu com drogas e com pessoas erradas. Não sei se sou mesmo kardecista, mas gosto da doutrina. Da minha mãe e do meu pai, eu pude me despedir, mas não consigo me despedir do meu irmão. Sinto saudade dele todos os dias", disse Edmundo ao podcast Inteligência Ltda. 

Leia também:

O ex-jogador falou ainda que era muito próximo do irmão e que o futebol acabou afastando os dois: "Embora eu não seja tão amoroso, não sou de demonstrar muito... Nós éramos unha e carne, ficávamos 24 horas por dia juntos e o futebol me afastou dele. O futebol também não deixou eu me despedir dele". 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos