Editor de jornal chinês diz que WTA "coage" Peng ao suspender torneios na China

·1 min de leitura
Tenista chinesa Peng Shuai durante Aberto da Austrália de 2020

XANGAI (Reuters) - O editor do jornal chinês Global Times acusou a Associação de Tênis Feminino (WTA) de "coagir" a estrela do tênis Peng Shuai a "apoiar o ataque do Ocidente" contra a China suspendendo torneios no país até estar convencida sobre seu bem-estar.

Conhecido por seus tuítes combativos, Hu Xijin é um crítico explícito do escândalo envolvendo Peng e sua acusação de agressão sexual contra um ex-vice-premiê, embora a China mantenha o silêncio e autoridades bloqueiem debates sobre o tópico na internet chinesa.

Na quarta-feira, a WTA anunciou a suspensão imediata de todos os torneios na China citando preocupações com o bem-estar de Peng, ex-número um do mundo de duplas, e com a segurança de outros tenistas.

"A WTA está coagindo Peng Shuai a apoiar o ataque do Ocidente ao sistema chinês. Eles estão privando Peng Shuai da liberdade de expressão, exigindo que sua descrição de sua situação atual atenda suas expectativas", disse Hu em sua conta oficial de Twitter em uma publicação que citou o anúncio da WTA.

A entidade não respondeu de imediato a um pedido de comentário da publicação de Hu no Twitter, que está bloqueado na China.

O paradeiro de Peng se tornou um tema de preocupação internacional devido a uma ausência pública de quase três semanas depois de ela ter publicado uma mensagem em uma rede social no início de novembro alegando que o ex-vice-premiê chinês Zhang Gaoli a agrediu sexualmente.

Nem Zhang, que se aposentou em 2018, nem o governo chinês comenta a alegação de Peng.

(Por Brenda Goh; reportagem adicional de Sudipto Ganguly em Mumbai e da redação de Xangai)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos