Edílson responde jogadores do Corinthians após vídeo: “Eu não retiro nada daquilo que eu falei”

TV Esporte Blog
·2 minuto de leitura
Edilson durante o programa 'Os Donos da Bola' (Reprodução/TV Bandeirantes)
Edilson durante o programa 'Os Donos da Bola' (Reprodução/TV Bandeirantes)

Os jogadores do Corinthians gravaram um vídeo para desmentir as declarações de Edilson de que eles estariam planejando fazer uma greve por conta dos salários atrasados. Nesta quinta, 3, foi a vez do comentarista responder aos atletas corintianos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

O ex-jogador afirmou que não teve a intenção de prejudicar o ambiente do Corinthians, como afirmou Cássio durante a mensagem gravada, mas continuou bancando sua informação, dada no programa “os Donos da Bola”.

Leia também:

“Eu não retiro nada daquilo que eu falei. Nada! Era uma coisa sigilosa, mas nem tanto porque outras pessoas já sabiam da notícia que eu dei. Eu me responsabilizo pela notícia. Ele falou que tem pessoas que querem o mal do Corinthians. Eu jamais iria querer o mal do Corinthians. Sou grato ao Corinthians, sou corintiano. Eu não tiro uma vírgula do que eu falei. Uma informação que eu tive, que tem veracidade”, respondeu Edilson.

O comentarista da Band ainda disse que ficou triste em saber dessa informação. “Eu jamais quero conturbar o ambiente do Corinthians com esse tipo de informação até porque eu fiquei triste em falar isso, de saber dessa situação de um clube que eu gosto, que eu amo”, ressaltou o Capetinha.

O apresentador Neto entrou na conversa e defendeu o direito dos jogadores em desmentir a informação dada pelo colega, mas deu uma alfinetada nos atletas logo em seguida. “Democraticamente, os jogadores têm o direito de desmentir. Agora, ai de vocês se fizerem greve! Ai de vocês se reclamarem do salário atrasado!”, comentou.

Por fim, Edilson afirmou que respeita o lado do elenco, mas acredita que a possibilidade de greve era verdadeira. “Eu respeito o vídeo deles, mas se minha informação não tivesse veracidade ninguém iria fazer vídeo. Eu fui jogador de futebol e eu sei que no dia do jogo, depois do almoço, é o melhor horário para você dormir e descansar. Imagina o trabalho de você ligar para todo mundo, bater de quarto em quarto, botar o uniforme, botar a máscara...”, explicou.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube