Ederson, Alisson e Weverton, quem deve ser o titular da Seleção?

A Seleção Brasileira começou a se apresentar para dar início aos preparativos para os jogos contra Uruguai e Paraguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo Rússia 2018. Esses serão os dois primeiros jogos da Canarinho em 2017. Na primeira lista do ano, Tite anunciou poucas novidades mas uma delas está no gol. Ederson, depois de grandes atuações com a camisa do Benfica, ganhou oportunidade ao lado de Alisson e Weverton.

VEJA TAMBÉM:
Não foi dessa vez, Ney! | Palmeiras vira sobre o Santos | Real mostrou espírito de equipe

Aos 23 anos, o jovem arqueiro se apresentou à Seleção depois de bater uma expressiva marca com a camisa do time português. Neste final de semana, ele completou 50 jogos pelo time benfiquista.

É esperado que Alisson seja o titular contra o Uruguai, ele foi o dono da meta brasileira nos seis primeiros jogos de Tite à frente da Canarinho, mas mesmo que não tenha cometido falhas, sua titularidade é sempre questionada pelo fato de atuar pouco na Roma.

Alisson Lazio Roma Coppa Italia


(Foto: Getty Images)

A possível falta de ritmo, e o fato de goleiro trabalhar muito com o reflexo são os principais motivos para questionar a titularidade de Alisson. O ex-Internacional sabe que qualquer falha que venha a ser cometida será diretamente relacionada aos poucos jogos pelo time italiano, ainda que não venha a ser esse o motivo.

Além das desconfianças, Alisson enfrentará também a grande fase vivida por Ederson e Weverton, dois goleiros que hoje são titulares de suas respectivas equipes e disputam campeonatos de alto nível.

No caso de Ederson, que sempre foi tratado como uma joia no Benfica, o gás para "faturar" a vaga de Alisson é total. Ele superou ninguém menos que Júlio Cesar e se transformou em um dos goleiros mais promissores do futebol europeu. Bruno Andrade, repórter da Goal em Portugal, conta como o arqueiro "roubou" a titularidade do ex-goleiro da Seleção.

Ederson e Aubameyang - Benfica x Borussia Dortmund Champions League 14022017


(Foto: Getty Images)

"O Benfica sempre apostou muito nele, mas tinha o Júlio Cesar ali né? Salário alto, goleiro consagrado mas no final da temporada passada o Júlio teve uma lesão e o Ederson é lançado no meio da fogueira num clássico contra o Sporting fora de casa, depois pegava o Bayern de Munique na Champions. Ele foi lançado meio que no susto mas entrou e não saiu mais. Ele entra, faz grandes defesas, mostra maturidade e bota o Júlio no banco".

Bruno também ressaltou o tratado dado pela imprensa portuguesa ao jovem goleiro brasileiro.

"Na temporada passada ele jogou só a fase final e nessa é titular absoluto, ele é o principal nome do time com o Pizzi e o Mitroglou. A imprensa gosta muito dele, é quase sempre cada de jornal e sempre falam do valor dele, que é um goleiro para ser vendido por 40 milhões de euros, que é goleiro para jogar num City, num Barcelona".

Ederson Moraes Benfica Borussia Dortmund


(Foto: Getty Images)

Com a ascensão de Ederson no futebol português, Bruno enxerga um futuro ainda mais brilhante para o brasileiro no futebol Europeu e aposta no arqueiro do Benfica como titular da Seleção até a Copa do Mundo.

"Eu gosto muito do Weverton e do Alisson mas acho que por merecimento o Ederson merecia ser titular. O Alisson é reserva na Roma, o Weverton está super bem no Atlético-PR, é muito bom goleiro mas o Ederson é o goleiro do futuro, tem 23 anos, líder do Campeonato Português, no mínimo ele precisa ser o reserva, não pode ser o terceiro reserva. Merecida a convocação, até demorou um pouco mas agora que teve a chance ele não vai sair mais, é uma aposta minha e a tendência é tirar o Weverton, tirar o Alisson e quem sabe até a Copa do Mundo ele não seja titular, ele está preparado. E se tudo der certo o City deve investir nele, o Guardiola também é muito fã dele, já mandou olheiros. Se ele é goleiro do Benfica e está entre os três, se realmente ele for negociado e titular do City ai pronto, acabou".

Por outro lado, Ederson não precisa vencer apenas Alisson já que Weverton conseguiu construir uma história na Seleção mesmo que em pouco tempo. Ele foi o goleiro e um dos grandes responsáveis pela conquista da inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio e tem se mostrado o melhor goleiro em atividade no futebol brasileiro no momento.

Suas grandes atuações com a camisa do Atlético-PR não são de hoje, fazem parte de um trabalho longo. Fernando Freire, repórter do Globoesporte.com, que acompanha de perto o dia a dia do camisa 12 do Furacão ressaltou que o goleiro já venceu uma concorrência pesada para chegar na Canarinho e credenciou sua média de atuações como nota oito.

Weverton Millonarios Atlético-PR Copa Libertadores 08022017


(Foto: LUIS ACOSTA/AFP/Getty Images)

"O Weverton está em alto nível e integra a prateleira dos melhores goleiros do país. Ele brilhou por exemplo, na Copa do Brasil de 2013, na Libertadores de 2014, no Brasileirão 2016. E, desde 2013, ele falava no objetivo de defender a Seleção Brasileira. O cenário era complicado, até pela concorrência, mas o Weverton não desanimou. Pelo contrário, trabalhou em busca de excelência e alcançou o sonho em 2016. Em todo esse período no clube, ele sempre mostrou uma regularidade acima da média, sempre com atuações nota 8 para cima e com raras falhas".

O Atlético-PR lidera seu grupo na Copa Libertadores muito graças ao trabalho de Weverton que segurou o um a zero contra o San Lorenzo na Argentina com grande defesas. Além disso, ele pode ser apontado como o principal responsável pelo clube ter passado pelas primeiras fases até chegar na fase de grupos. 

Além de já estar no plantel desde que Tite assumiu o comando, Fernando Freire vê a sequência de jogos como o diferencial de Weverton para pleitear a vaga de titular no gol brasileiro.

Weverton Alemanha Olimpíada 30082016


(Foto: MARTIN BERNETTI/Getty Images)

"Em relação à briga pela titularidade na Seleção, uma vantagem do Weverton em relação ao Alisson, por exemplo, é a sequência de jogos. Ele tem atuado tanto na Libertadores quanto no Campeonato Paranaense apesar do Furacão ter usado um time alternativo no estadual, o camisa 12 pedia para jogar praticamente todas as partidas. Com isso, ele adquiriu ainda mais ritmo de jogo e confiança".

Para o jogo contra o Uruguai, como ressaltamos, é bem provável que Alisson siga como titular, mas com o início desde novo ano, a briga pela titularidade no gol da Seleção com certeza está renovada e ainda mais aberta.