Ed Woodward, CEO e vice-presidente do Manchester United, renuncia após protestos contra a Superliga

LANCE!
·1 minuto de leitura
Manchester United's executive vice-chairman Ed Woodward is seen before kick off of the English Premier League football match between Burnley and Manchester United at Turf Moor in Burnley, north west England on December 28, 2019. (Photo by Oli SCARFF / AFP) / RESTRICTED TO EDITORIAL USE. No use with unauthorized audio, video, data, fixture lists, club/league logos or 'live' services. Online in-match use limited to 120 images. An additional 40 images may be used in extra time. No video emulation. Social media in-match use limited to 120 images. An additional 40 images may be used in extra time. No use in betting publications, games or single club/league/player publications. /  (Photo by OLI SCARFF/AFP via Getty Images)
Ed Woodward era um dos principais nomes da direção do Manchester United (OLI SCARFF/AFP via Getty Images)

Após uma série de protestos por parte de torcedores e jogadores contra a Superliga Europeia, os times ingleses recuaram, e começaram a deixar a competição. A questão do Manchester United foi até o CEO e vice-presidente executivo, Ed Woodward, que renunciou ao cargo após pressão.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Ed Woodward renunciou ao cargo de presidente do Manchester United após sofrer pressão de diversos lados por conta da participação da equipe na Superliga Europeia.

Leia mais:

A imprensa inglesa noticia que, além dos protestos dos torcedores dos Red Devils, jogadores como o capitão Harry Maguire e o lateral-esquerdo Luke Shaw confrontaram o presidente do Manchester United, o que pode ter ocasionado a renúncia.

O United confirmou que Woodward, que chegou ao Manchester United em 2013, deixará o clube inglês no final de 2021. A decisão foi feita menos de 48 horas após o anúncio da criação da Superliga Europeia, que já não contará com grande parte dos times iniciais.