Pênaltis? Brasil tem trunfo para pegar a Croácia, que possui histórico de avançar nas penalidades


A goleada por 4 a 1 sobre a Coreia do Sul aumentou o favoritismo do Brasil na Copa do Mundo. Na sexta-feira, às 12h (de Brasília), a Seleção encara a Croácia, pelas quartas de final, e para avançar vai ter que repetir a atuação ofensiva, já que os croatas costumam fazer jogo duro e levar para os pênaltis. Dessa forma, passaram do Japão e, no Mundial passado, avançou contra Dinamarca e Rússia neste tipo de disputa. No entanto, se isso acontecer, o goleiro Alisson estará pronto para brilhar.

+ Próximos jogos do Brasil na Copa do Mundo 2022: veja datas, horários e onde assistir

Desde que estreou nos profissionais do Internacional em 2013, Alisson teve 32 pênaltis contra e sofreu 19 gols. Dos 13 que não entraram, o goleiro defendeu oito cobranças. Dentre as 'vítimas' estão Rafael Sóbis, Messi e Jorginho, brasileiro naturalizado italiano que joga no Chelsea. Os dados são do site "Trasnfermarkt". A fase atual é ótima, já que neste ano, foram duas defesas em cinco penalidades. Todos os pênaltis citados são com bola rolando.

Alisson também se destaca quando o jogo é decidido em disputa por pênaltis. O goleiro venceu as duas que disputou. Pela Seleção Brasileira, ajudou a despachar o Paraguai, nas quartas de final da Copa América, ao defender uma cobrança. Já com o Liverpool, foi campeão da Copa da Inglaterra 2021/22, ao pegar um pênalti contra o Chelsea.

Taffarel - Brasil
Taffarel - Brasil

Taffarel trabalha com Alisson na Seleção (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Vale destacar que o preparador de goleiros de Alisson, na Seleção e no Liverpool, é Taffarel, um dos melhores pegadores de pênaltis de todos os tempos. O lendário goleiro possui histórico positivo em Copas do Mundo. Em 1994 foi campeão sobre a Itália em disputa na marca da cal. Já em 1998, brilhou na classificação para a final, com duas defesas sobre a Holanda.

+ Brasil tenta acabar com fantasma que dura desde o penta de 2002

Pênalti só é legal para aquele torcedor que não tem o seu time ou seleção envolvido. Portanto ninguém quer que o Brasil decida a vaga nesse tipo de disputa, mas é bom saber que caso aconteça, podemos ficar confiantes na classificação. O pupilo do herói do tetra estará preparado.