E se a moda pega? Pai insere Botafogo no nome da filha com mãe flamenguista

·2 min de leitura


Parece que a moda pegou... Depois da Justiça do DF negar um pedido de uma mãe para retirar o nome "Vasco" - dado pelo pai - da certidão de nascimento dos dois filhos, foi a vez do casal Caio Silva e Taynah Roxinol apostar no alvinegro carioca como sobrenome da filha Maria Luísa Botafogo Roxinol Coelho, de apenas quatro meses.

Em entrevista ao 'ge', Caio e Taynah explicaram a escolha pelo nome. Nascida em Nilópolis, em 30 de junho, Maria Luísa tem pai torcedor do Botafogo e mãe rubro-negra. A flamenguista, inclusive, chegou a retroceder inicialmente perante à decisão. ​Foi aí que o botafoguense Caio colocou as cartas na mesa: como foi Taynah que escolheu o nome, Maria Luísa, era a vez dele escolher um complemento.

- O cartório não deixava registrar sem a assinatura da mãe. Aí eu precisei subir no quarto pra pegar a assinatura dela. Ela falou que não queria mais, mas eu respondi dizendo que a gente tinha combinado. Chegou uma amiga nossa que é a madrinha da Maria Luísa, ela conversou e pediu para pegar os documentos e deu tudo certo - disse Caio ao 'ge'.

+ Veja a posição do seu time no Brasileirão!

- Eu não queria assinar, mas acabei assinando. Agora já acostumei, ficou como sobrenome, está tudo certo. Na primeira vez que fui à consulta chamaram por Maria Luísa Botafogo. Achei estranho, mas depois acostumei. Pelo menos é menina, né? Se fosse menino seria Nilton Santos, aí seria bem pior. Ele chamava de Niltinho antes de a gente saber se era menino ou menina - completou a mãe.

A escolha em homenagear o Botafogo é uma tradição da família de Caio. Aliás, o próprio nome do botafoguense surgiu de um sorteio com nomes relacionados ao alvinegro. No caso dele, o estádio Caio Martins, em Niterói.

Apesar de ainda não conhecer a casa do clube carioca, Maria Luísa Botafogo é vista pelo pai como uma esperança do renascimento do Glorioso.

- Na verdade é o que a gente espera, reconstrução do Botafogo, que volte às glórias. A gente sabe que o nascimento de um bebezinho vai alegrar mais, vai ver coisa bonita do Botafogo conforme for crescendo, vai ser torcedora, vai estar sempre nos estádios... É o que a gente espera, que o Botafogo volte a ser o que era, as histórias que eu escutava quando era novo, por tudo que me apaixonei, ela também vai. Vai ter só glória, né filha? Agora o Botafogo vai pra cima - concluiu Caio Silva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos