E o dinheiro de Pedrinho? Duílio diz que parte já chegou ao Corinthians

LANCE!
·3 minuto de leitura


Um dos maiores mistérios do Corinthians em 2020, sem dúvidas, foi o paradeiro do dinheiro da venda de Pedrinho ao Benfica. Durante todo o ano, promessas e garantias foram feitas, porém a grana demorou a pintar nos cofres do clube e somente no último mês é que ele apareceu de fato, mas não por completo, apenas parte, conforme disse Duílio Monteiro Alves, em coletiva.


TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

GALERIA
> Corinthians ainda não teve escalação repetida; confira as 27 formações

Negociado em março do ano passado com o clube português por 20 milhões de euros (R$ 105 milhões na cotação da época), o meia-atacante faz parte do elenco benfiquista desde agosto e já marcou gol sob o comando de Jorge Jesus, mas até outro dia, o dinheiro de sua venda não estava nas mãos do Timão.

De fato, houve alguns problemas no meio do caminho, como o imbróglio em relação ao negócio com Yony González, uma vez que o Alvinegro abriu mão de contratá-lo em definitivo e devolveu o colombiano ao Benfica. Os portugueses não gostaram, e resolveram renegociar a compra de Pedrinho, cujo valor caiu para 18 milhões de euros (R$ 117 milhões na cotação da época). Além disso, apenas começaria a pagar o valor aos corintianos no meio deste ano.

Sendo assim, o Corinthians foi atrás de um banco europeu para antecipar a quantia integral negociada com o Benfica, que precisava enviar documentos para que os brasileiros pudessem efetivar esse adiantamento. O processo, que já seria demorado, levou ainda mais tempo para ser concretizado e somente no fim de 2020 é que parte da grana pingou nos cofres alvinegros, considerada essencial para o fluxo de caixa desta temporada que começa em fevereiro.

- Entrou uma parte ano passado, pagamos umas contas como as do Bruno Méndez e a do Cantillo, mas o restante ainda não. A gente vem com a transição, com o Wesley (Melo) assumindo o financeiro, também tentando fazer com que isso aconteça o mais rápido possível, precisamos desse recurso. Mas mesmo sem ele, o Corinthians vem pagando muitos dos seus compromissos. Como eu disse, vamos renegociar outros, alongar prazos, e esperamos que nos próximos dias essa grande parte que falta da venda do Pedrinho entre, que vai nos ajudar muito - contou Duílio Monteiro Alves, em sua coletiva de posse.

O mandatário se refere ao pagamento das pendências que tinha em relação à compra de Bruno Méndez, junto ao Montevideo Wanderers-URU, e ao empréstimo de Cantllo junto ao Junior Barranquilla-COL, ambas foram resolvidas antes do último dia de 2020 graças a parte do dinheiro da venda de Pedrinho que pinto na conta, no entanto, um valor muito alto de dívidas de curto prazo precisam ser abatidas e o restante dessa verba precisa chegar.

Duílio assume o Timão com uma dívida acumulada que se aproxima de R$ 1 bilhão, sendo que o deficit de 2019 se aproximou de R$ 200 milhões e o de 2020 ainda não foi divulgado. Como trunfo, terá o acerto da dívida com a Caixa por conta da construção da Arena, que deverá ser oficializado em breve, e a consequente receita proveniente da bilheteria do estádio, quando tiver público.